[PT] Brasil: Comunicado 79 de ITS: Ataques Destruidores na FLONA

Enviado al mail.

“Nós devemos andar aqui na Terra pisando suavemente, como um pássaro que passa voando no céu e você olha depois e ele não deixa rastros.” – Ailton Krenak

Como o ciclo das águas voltamos a lutar pelo selvagem. Algumas bocas sujas falaram contra nós, investigadores frustrados da PC e PF nos caçaram até debaixo de pedras, mas sequer nos encontraram, e aqui estamos novamente, Sociedade Secreta Silvestre, provocando caos e terror.


Assumimos os ataques destruidores na Floresta Nacional de Brasília (FLONA) ocorridos durante a madrugada de domingo do dia 28 deste mês, desta vez na região de Taguatinga. Na ocasião realizamos os seguintes ataques:

– Destruição parcial de uma torre de sinal em construção. Tentamos, mas não conseguimos derrubar a torre. De qualquer modo ela foi inutilizada, as bases estão seriamente comprometidas, bem como os cabos de aço que a sustentam e foram danados. Todos os fios foram cortados, incluindo o fio terra;
– Destruição total de uma placa solar destinada a alimentar a torre. Cortamos o cadeado da caixa de controle do painel com um alicate e destruímos tudo que estava em seu interior. Com martelos arrebentamos toda a placa;
– Pixações com ameaças em várias placas na floresta, especialmente a Ricardo Salles;
– Destruição de uma pequena ponte para visitantes dentro da floresta;
– Após sermos recebidos na entrada e na saída por um imponente Lobo Guará, como se nos saudasse, causamos o incêndio e a destruição de dois carros do IBAMA através de IEDs incendiários de 8 litros de gasolina divididos em quatro garrafas amarradas a pequenos explosivos e várias mechas ignitoras, deixadas na parte da frente e de trás dos carros;

Nem ecoturismo nem estruturas tecnológicas terão espaço nas florestas, a guerra extremista contra o mundo moderno cinzento e artificial segue, às cidades os artefatos. Damos as costas ao Sistema Tecno-Industrial por puro desprezo. Claro, a repugnância violenta à civilização pulsa quente em nossas artérias, e a catarse cheira a explosivos. E para quem pensa que um grupo de alguns individualistas pouco pode a National Thowheed Jamath demonstra o contrário depois da merecida carnificina contra cristãos no Sri Lanka. Em dezembro do ano passado por um triz o cenário de terror no país asiático não foi produzido nestas terras por nós de Individualistas Tendendo ao Selvagem – Brasil. Mas pouco importa, as intenções seguem latentes, recordem-se de que o que antecede a explosão é o silêncio. Os ataques nesta madrugada de domingo na FLONA são uma fagulha, é lógico que a selvageria vinda de nossas mãos se materializará por cima da cidadania. Esta aparição após as investigações da Polícia Federal vem cheia de surpresas, ao invés de nos intimidarmos nós aumentamos o poder terrorístico. A tocaia está em curso.

As florestas para nós são locais sagrados que merecem o profundo respeito, não é de nosso feitio fazer ecoar explosivos nestas áreas, antes atacar uma metrópole a disputar com os sons das matas e dos animais. Os ataques executados não foram aleatórios. O Cerrado tem sido desertificado, o pouco que resta se extinguirá em alguns anos, e isso dizem os próprios cientistas, gente como Antonio Donato Nobre com as suas respeitosas investigações. Mas alguém sensível é capaz perceber isso, não é preciso que a ciência nos dite que a terra está doente. Em nome do progresso humano as cidades tragam indiscriminadamente a natureza e acuam a vida selvagem. Os sons silvestres ouvidos nas densas matas tem se tornado memórias, uma lembrança é que o inconfundível Gavião-Peneira já não mais é visto pairando no ar à procura de pequenas presas no chão pois a terra hoje é erma, seca e de crosta asfáltica. Nos últimos dias temos peregrinado nas florestas meditando em o quanto a existência da espécie humana é destrutiva. O impacto ecocida da civilização que presenciamos vem semeando a dor crescente em nossos espíritos. A terra grita. Nos bosques nos deparamos com amontoados e trilhas de lixo atirados por “amantes da natureza” que saem para seus “lazeres de domingo”, em muitos lugares há erosões causadas pelo enorme fluxo de centenas de ciclistas, os seres da natureza tem estado afugentados pela massa de civilizados que tiram os finais de semana nos bosques como “sessão de descarrego”, mas que na semana contribuem angustiantemente com o progresso da tecnológica sociedade moderna. Vimos asquerosas máquinas rasgando a terra expandindo a urbanização e óbvio, presenciamos também matas e riachos danados após típicos festivais hipsters. Isso é o antigo Cerrado sucumbindo na intervenção de um único ser, a espécie invasora humana. Logo não só nas cidades, mas em qualquer floresta o risco de ataque é latente. Proclamamos vocês humanos civilizados personas non gratas nestas áreas, se distanciem da natureza selvagem, voltem para seus ambientes artificiais e doentes, vocês são uma espécie invasora nojenta e destrutiva, as florestas não são para vocês, deixem-nas para os Lobos, as Suçuaranas, as Seriemas, as Cascavéis, os Veados, as Capivaras, os Teiús, os Tatus, deixem o selvagem para o que é selvagem. Que o enojado ecoturismo sucumba. Logo pensem duas vezes vocês escoteiros, turistas, ciclistas, caçadores, famílias, hipsters, patrulhas, andarilhos ou qualquer civilizado que ouse pisar nestes locais onde a civilização ainda não interviu por completo, que não seja uma surpresa qualquer tipo de ataque bárbaro repentino.

A FLONA está sob jurisdição do ICMBio, entidade que sofreu drástica mudança esta semana em sua direção, e que por sua vez é vinculado ao Ministério do Meio Ambiente (MMA), dirigido atualmente por Ricardo Salles. Pixações nas placas dentro da floresta realçam as ameaças a este personagem charlatão e “anti-ambiental” que trabalha estritamente em prol de mineradoras, indústrias e agropecuária. Salles comicamente já foi condenado após fraudar documentos para favorecer empresas de mineração. Por acaso lembram do que passou com o bastardo do Óscar Landerretche, não? Então cuidado, Salles. Você é uma figura pública. Não somos como os desprezíveis do Partido da Causa Operária que rosnam o tempo inteiro babando radicalismo, mas que quando te encontram dão tapinhas em seu carro. Operamos terroristicamente apenas. Não temos pressa, só disposição, arsenais e objetivos, e você é um deles, junto com a turma incompetente e pateta dos “Bolsonaros” e outros que já mencionamos. Não fazemos isso esperando por mudanças nestas instituições, já que não obedecemos a lógicas políticas. Além do mais o MMA e várias autarquias como o ICMBio, Serviço Florestal Brasileiro e o IBAMA logicamente sempre trabalharam a favor de uma insana civilização “sustentável” e progressista, como se houvera tal possibilidade. Agora sob gerência de Salles estes órgãos são apenas vereditos para atividades catastróficas. É bem sabido que este funcionamento ecocida irá se intensificar de maneira abissal com as intervenções de Ricardo Salles, suas movimentações nas últimas três semanas comprovam muito bem isso. Este cara é do tipo que passa o pano para empresas como a Vale que destruiu consecutivamente vários quilômetros de biomas após dois gigantescos desastres civilizados oriundos de atividades mineradoras no estado de Minas Gerais. Isso é imperdoável. Logo colocar Salles, “Bolsonaros” e companhia como alvos parte também de um vingativo ódio egoísta em chamas dentro de nós. Isso não é por “justiça climática” querida por lixos progressistas como Greta Thunberg e nem pela esquerda, que se foda a esquerda, igualmente podemos atacá-la. Esta é uma posição antipolítica, a Natureza Selvagem não possui “lados políticos”. E claro, é oportuno causar paranoia e desordem política, pois salda desestabilizações dentro da ordem social. Se bem que em matéria de desestabilização a incompetência de Bolsonaro e de suas proles sujas é líder longínqua, e aplaudimos isto de pé, as pateticidades e declarações deste grupo político amador colaboram ativamente com o caos que desejamos já que travam parcialmente o funcionamento de algumas estruturas do Estado com o choque de interesses e seu denso viés ideológico, conseguindo também provocar severos conflitos entre grupos a partir do dualismo político que guia a civilização ocidental.


O que fizemos foi pouco, só que temos uma vida para expurgar nosso ódio à civilização e ao progresso humano. Para o momento os ataques na FLONA e deixamos este recado a Salles e turminha. É impossível atacá-los? ITS quase matou o presidente da Codelco, uma das maiores mineradoras do mundo. Quem imaginaria? Francamente, não temos pressa. A vingança é degustada friamente. É claro que seguiremos com outros ataques indiscriminados e seletivos buscando danar e desestabilizar a civilização. A paz e a ordem serão quebradas pela selvageria. Quem sabe em uma próxima oportunidade o Sri Lanka não será aqui. Não iremos nos estender mais, que os explosivos falem por si só. Estamos serenos e quem é sabe, sem massagem.

De volta à escuridão nos unimos aos animais da natureza, a cultuar a lua, o sol, as estrelas, o vento, as águas, os bosques, o todo.

Que a névoa cubra nossa caminhada. Misantropia e natureza selvagem sempre.

Individualistas Tendendo ao Selvagem – Brasil
-Sociedade Secreta Silvestre

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.