Tag Archives: Individualistas Tendendo ao Selvagem (ITS)

PF investiga explosión “con indicios de atentado terrorista” en Brasilia

https://goblinrefuge.com/mediagoblin/u/nahual/m/pf-analisa-material-recolhido-de-explosao-de-panela-de-pressao-abandonada-por-eco-extremistas-no-conjunto-nacional/

Nota desde la prensa brasileña, haciendo mención del atentado explosivo de la “Sociedad Secreta Silvestre”, grupo de Individualistas Tendiendo a lo Salvaje-Brasil. Expandiendo de esta manera la mafia  de ITS a las tierras Amazónicas.

¡Adelante la mafia de ITS!

¡Adelante con los explosivos y el fuego!


20160802111158453372u

1 de agosto 2016

La Policía Federal (PF) está investigando una explosión por la noche del lunes, en la zona central de Brasilia. Una olla a presión explotó en el estacionamiento en frente del centro comercial Conjunto Nacional, en torno a las 22h. Dentro del contenedor tenía tuercas, clavos y productos químicos aún no identificados. No hubo heridos aunque sí autos dañados por la metralla del explosivo. Hasta la mañana del martes, nadie había sido identificado como sospechoso.

La tapa de la olla fue arrojada a 20 metros del lugar de la explosión. La alarma de la Policía Militar del escuadrón de bombas se activó a las 22.30 horas para comprobar si había riesgo de nuevas detonaciones u otras ollas con explosivos. Por tener evidencia de atentado terrorista, el lugar está a cargo de la Policía Federal, que recogió el material para el examen. Los análisis preliminares indican que no había polvo en la olla, pero la mezcla de algún producto químico causó la explosión. La PF aún no se ha pronunciado sobre el caso.

Conjunto Nacional es el centro comercial más antiguo de DF. Está al lado de la carretera Plan Piloto, por la cual transitan cerca de 700 000 personas por día.

http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2016/08/02/interna_cidadesdf,542737/pf-investiga-explosao-com-indicios-de-atentado-terrorista-no-centro.shtml

http://www.metropoles.com/distrito-federal/seguranca-df/panela-de-pressao-com-pregos-explode-proximo-ao-conjunto-nacional

(Brasil) Décimo Primeiro Comunicado de Individualistas Tendendo ao Selvagem (Sociedade Secreta Silvestre/ITS-Brasil)

Comunicado original en portugués publicado el 03 de agosto 2016.

Fotos acá: https://mega.nz/#!pk8UlTpB!tVANbcThPxekw_ElOsBRVMv0HNKILwINsYOzjiQK2Ig


“Sólo quiero ver las ciudades arrazadas, la selva creciendo mientras gozamos con las fabricas quemadas, salvajes somos y salvajes seremos, entre la vida y la muerte danzaremos […] si la muerte llega seguiremos destruyendo el infierno, asqueroso mundo te veré caer riendo, en este enfrentamiento eterno […]” – N.D, El Acecho de La Muerte

Pindorama – Os seres silvestres e indômitos desde o fundo das florestas cantam e nos convidam a travar uma amoral guerra selvagem lado à lado. Dos mais escuros becos da podre urbe escutamos o incivilizado eco daqueles que não falam humano e não tardamos a aceitar o chamado reforçado pelas vozes de nossos antepassados que lá no fundo amaldiçoam e clamam pela destruição total do mundo civilizado. Em bando e como bárbaros nos ajuntamos e afiamos nossos punhais, trocamos os pentes de nossas pistolas e preparamos a nossa gama de explosivos para defender com garras e presas a conspiração eco-extremista contra a civilização e o progresso humano que se estende a estas terras e que por aqui ferozmente começa.

Sociedade Secreta Silvestre é uma das materializações ocultas do eco-extremismo aderente ao Individualistas Tendendo ao Selvagem nestas terras amazônicas.

As autoridades brasileiras se prepararam o quanto puderam contra os extremistas do ISIS e até mesmo prenderam uma de suas células aqui no Brasil, mas não esperavam por nós eco-extremistas. Estrategicamente esperamos as vésperas dos Jogos Olímpicos Rio 2016 para atacar e declarar GUERRA aos hiper-civilizados e a seu mundo morto de concreto e aço bem como a todos os seus pilares e aparatos tecnológicos.

Nós não somos apenas lobos solidários como berrará as autoridades e a mídia brasileira, somos uma matilha que rosna contra tudo o que é civilizado!

Orgulhosamente atendemos ao chamado dos furacões, dos terremotos, das tempestades de raios, das erupções vulcânicas, dos maremotos, avalanches, ondas de calor, inundações e de todas as outras catástrofes naturais PELA DEFESA EXTREMISTA DA NATUREZA SELVAGEM!

Como uma incurável peste surgimos e como ondas violentas de vento que indiscriminadamente varrem tudo pela frente nos alastraremos causando terror e devastação por onde quer que passemos. Nosso alvo? A civilização em sua totalidade e o progresso humano! E isso SEM GARANTIA ALGUMA de que não caiam “inocentes” civis em meio a nossos atos terroristas.

Somos feras selvagens, delinquentes incivilizados, terroristas amorais e uma máfia de inimigos eternos de tudo o que é civilizado e a partir de agora publicamente DECLARAMOS GUERRA àqueles que sustentam a civilização e à seus cúmplices, e também apontamos as nossas armas contra toda e qualquer estrutura que garanta o sustento e a expansão do mundo cívico.

Jogos Olímpicos em nossa mira

Não por acaso SSS/ITS-Brasil deu as caras nesta data. É época de véspera dos Jogos Olímpicos Rio 2016, evento de grande movimentação cidadã nacional e internacional, um show com muito glamour em medida apropriada para manter repletas de lixo as mentes dos civis desta sociedade morta. Dia 5 o mundo se voltará mais uma vez a uma celebração à nível mundial que tem como falido slogan a frase “Um novo mundo”.

Caros cidadãos, temos o imenso prazer de dizer-lhes que se existe algum inferno ele se assemelha à atual realidade mundana e dizemos também que dias melhores não virão, não importa quantas doses de esperança tomem. É momento para a desgraça!

O lema dos jogos olímpicos menciona uma “busca” por algo diferente do inferno que as próprias mãos humanas forjaram. De modo hilário movimentos “revolucionários” também buscam “um novo mundo”. Esta frase é até mesmo o slogan da absurda alterglobalização que pregam diversos movimentos esquerdistas. Todos estão à procura do “mundo novo”, da “terra prometida”, da “Nova Canaã”, e isso até mesmo grande parte dos anarquistas. Seguem distintos caminhos, mas em rumo semelhante em busca de alguma “solução” ou “melhora”, entretanto todas as rotas levam ao mesmo precipício.

Afirmamos que NÃO há mudança possível que supere o abismo cívico que cheira à morte e nós eco-extremistas sabemos muito bem disso. Não há caminhos a se avançar, há passos a regressar. Não há nada que mudar neste mundo, há TUDO a se destruir. SSS/ITS-Brasil junto a ITS-México, Chile e Argentina também se coloca à cargo disso e implacavelmente põem em sua amoral e indiscriminada mira os Jogos Olímpicos Rio 2016. Somos e seremos inimigos eternos de toda a cidadania e de todo o civismo e este evento não passará despercebido por nossa frente. O espírito selvagem do Jaguar morto após ser USADO e DESCARTADO no evento de passagem da tocha olímpica no estado do Amazonas encarna em nós e clama por violentos ataques. Propagaremos o máximo terror sobre este evento cidadão hipócrita que simula uma ridícula paz e união no mundo como se tudo ao redor estivesse bem. Enquanto a Natureza Selvagem morre a civilização segue mais uma vez festejando dentro do mundo artificial que consome tudo o que é natural, e por isso para este festejo mundial deixaremos as nossas bombas!

Nossos bandos afins no Rio de Janeiro e São Paulo estão tão bem preparados quanto as dezenas de milhares de covardes mobilizados para fazerem a segurança pública dos Jogos e garantimos que nos estados na qual temos presença o evento não passará ileso sem que seja severamente atentado. Nós sabemos que brechas existem e elas serão devidamente utilizadas. Não somente as imperiais instalações olímpicas poderão ser alvos, mas objetivos imóveis/móveis aos arredores também poderão ser atacados. Não nos importamos com possíveis civis “inocentes” sendo mutilados ou mortos, afinal os cúmplices da civilização devem tombar junto a ela. Portanto, civis, se não quiserem ser alcançados por nossas explosões, permaneçam trancafiados à sete chaves no porão de suas casas. Turistas, se não quiserem ter o mesmo fim retornem às suas pútridas cidades. Vocês não são nem nunca serão bem recebidos, a não ser por nossos explosivos…

Vemos as estruturas olímpicas como uma profunda manifestação do urbanismo e da modernidade bem como da própria expansão da civilização. A Natureza Selvagem novamente foi apunhalada e desta vez para dar lugar às instalações dos jogos. A exemplo disso vemos o golpe civilizado ao pouco que resta de Mata Atlântica para a construção de um campo de golfe na Barra da Tijuca que servirá às Olimpíadas Rio 2016. Sem piedade alguma o fizeram e sem piedade alguma atacaremos os jogos. Este evento não é neutro e será multiplamente golpeado de modo selvagem. Aqueles que colaboraram/colaboram com ele, incluindo até mesmo civis, cairão! A enojada tocha olímpica carrega um simbolismo cínico que nos faz cuspir em sua representação. Ela traz a simbolização do Céu, das Montanhas e do Mar, aqueles mesmos que ironicamente o próprio avanço da civilização indiscriminadamente empurra ao abismo e a sociedade respalda! Os/as hipócritas envolvidos neste evento fazem jorrar cinismo perante ao mundo ao dizerem “defender” algo da Natureza com essa ridícula menção. A partir de agora mostraremos a eles o que é uma verdadeira defesa da Natureza Selvagem!

Com isso declaramos guerra a este destrutivo evento mundial desta sociedade morta que consome a Natureza Selvagem. A paz social será orgulhosamente rompida e mutilada.

E para dar início ao ataque selvagem, SSS/ITS-Brasil assume a responsabilidade pelo atentado em frente ao shopping Conjunto Nacional, realizado no centro da capital do Brasil, num movimentado setor e há poucos metros de uma das instalações que serão utilizadas nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Ontem pela noite plantamos no local um explosivo de fragmentos com 3 quilos de pólvora negra num recipiente de panela de pressão e desaparecemos nas sombras. O artefato provocou uma forte explosão que logo espalhou terror entre os civis, seguranças e funcionários que ali se acercavam. De longe sob a escuridão tranquilamente observávamos enquanto o vento soprava levemente confrontando a cacofonia urbana… as luzes da cidade não conseguiam vencer o céu estrelado preenchido por um expressivo luar… e foi em meio a isso que um forte estrondo e uma bola de fogo nos fez sorrir. Atentamos numa zona militarizada e embaixo do nariz das “forças de segurança”. Embora a explosão não tenha ocorrido como esperávamos seguiremos aperfeiçoando nossas técnicas para causar a máxima destruição possível a cada nova ação.

Ah, Conjunto Nacional, edifício emblemático do setor comercial e um dos símbolos da destruição da Natureza Selvagem… Os shoppings são os estandes da civilização que vendem artificialidades para essa hipócrita sociedade morta, são um um aglomerado de distribuidores que oferecem lixos a essa apodrecida sociedade civilizada e a seus civis e tudo isso ao custo da destruição frenética da Natureza Selvagem. Ontem o CN seguia firme em seus assassinos negócios e hoje se vê abalado como a estrutura de um prédio atingida por um sismo de magnitude máxima. Desta vez o ataque ocorreu fora do prédio, amanhã poderá ser em seu interior…

Declaramos que é apenas o começo da guerra eco-extremista contra a civilização e o progresso humano no “Brasil”. Todas as estruturas e indivíduos que garantem o sustento e a expansão da sociedade tecno-industrial e consequentemente a destruição da Natureza Selvagem agora convertem-se em alvos nossos.

As estruturas civilizadas voarão pelos ares como pássaros selvagens e arderão em chamas até alcançarem as cinzas e aqueles que promovem a destruição do Natural pagarão com sangue por suas ações, sangue este oferecido ritualisticamente à própria indômita Natureza assim como de forma grandiosa fez ITS-México ao assassinar a um trabalhador da UNAM, instituição incubadora de progressistas.

As únicas leis que reconhecemos são as leis da Natureza Selvagem. Esta é uma guerra de vida ou morte e a travaremos até as mais extremas consequências. Causaremos atos de terror e destruição enquanto estivermos de pé e isso será até a nossa morte ou a de todos os nossos inimigos.

Nós somos os produtos mais repugnantes que esta civilização podre já há criado. Habitamos as sombras, enojamos a cidadania, cuspimos no civismo e vandalizamos a onde quer que passemos. Desprezamos o trabalho, odiamos as escolas e incendiamos as universidades. Somos iconoclastas hereges inimigos supremos de Cristo e adoradores do paganismo, os que incendeiam igrejas com padres, pastores e até mesmo fiéis dentro, niilistas amorais apologistas da violência e do crime, os que escolheram a química ao invés das leis para dar seguimento à confecção de explosivos que dilaceram corpos e destroem estruturas, asquerosos delinquentes sem compromissos com a vida civilizada e que estão contra o futuro e contra tudo o que é o progresso humano, nós somos aqueles que não temem pelo amanhã e que escolheram o hoje e o agora para desferir os seus golpes… assim elegemos e sem nenhum passo atrás assim será…

Finalizamos o primeiro comunicado da Sociedade Secreta Silvestre (décimo primeiro de Individualistas Tendendo ao Selvagem) com o seguinte recorte que faz parte da publicação eco-extremista “Ishi e a Guerra Contra a Civilização“, e que possui sua versão em português:

“O eco-extremismo não terá fim, porque é o ataque selvagem, o “desastre natural”, o desejo de deixar que o incêndio arda, dançando em torno dele. O anarquista recua e o esquerdista se espanta, porque sabem que não podem derrotá-lo. Continuará, e consumirá tudo. Serão queimadas as utopias e os sonhos do futuro civilizado, restando apenas a Natureza em seu lugar.”

Sejamos perigosos…

Com ITS-México, Chile, Argentina e outros cantos do mundo, adiante máfia de eco-extremistas!

Cumplicidade com grupos Terroristas Niilistas na Itália que esfacelam a paz social! Adiante Clã Terrorista Niilista Cenaze, Seita Niilista Momento Mori e afins!

Saudações à convicta CCF que incendiou a Grécia!

Avante grupos eco-anarquistas e niilistas que espalham o terror pelo Chile!

Saudações ao Grupo de Hostilidades Contra a Dominação que também está em guerra nestas terras!

ADIANTE COM FOGO, BALAS E BOMBAS PELO SELVAGEM E CONTRA A CIVILIZAÇÃO E CONTRA TUDO O QUE É CIVILIZADO!

PELA DEFESA EXTREMISTA DA NATUREZA SELVAGEM!

ATÉ A TUA MORTE OU A MINHA!

(es-pt-it-en) Entrevista a Individualistas Tendiendo a lo Salvaje

Entrevista hecha a ITS-México el 01 de Julio 2016, por parte del medio periodístico “Radio Fórmula”. Quien cuestiona es el periodista Ciro Gómez Leyva. Todo esto a raíz del atentado homicidiario de la “Mafia Eco-extremista/Nihilista” de ITS, contra el jefe de la facultad de  química de la UNAM.

http://www.radioformula.com.mx/notas.asp?Idn=606512&idFC=2016&sURL=

Seguimiento de los actos de ITS aquí:

https://mega.nz/#!pk8UlTpB!tVANbcThPxekw_ElOsBRVMv0HNKILwINsYOzjiQK2Ig


-¿A qué se refieren con los ataques del 25 y el 8 de abril?
Aquí hay que aclarar una cosa, ITS NO fue responsable del ataque del 8 de Abril en C.U., fue otro grupo que comparte la misma tendencia del eco-extremismo, lo mencionamos en nuestro último comunicado para evidenciar que las autoridades universitarias acallaron dichos ataques.

Por otra parte, el ataque del 25 de Abril en C.U., fue parte de una coordinación entre grupos de ITS en México, Chile y Argentina.

Todo el mes de Abril lo dedicamos a esa coordinación de ataques, los cuales fueron:

– El 6 de Abril la “Horda Mística del Bosque”, abandonó un artefacto incendiario dentro de la Facultad de Ciencias Físicas y Matemáticas de la Universidad de Chile en Santiago, aunque el artefacto lo encontraron antes de activarse generó gran conmoción en la comunidad universitaria del país de los terremotos.

– El 12 de Abril el grupo “Ouroboros Silvestre”, detonó un explosivo frente a la Universidad de Ecatepec, en el Estado de México, este a escasos metros del palacio municipal ubicado en pleno centro San Cristóbal, en este caso el artefacto explotó exitosamente sin que se conocieran más detalles.

– Ese mismo día el mismo grupo abandonó un artefacto explosivo de activación electromecánica en la Comunidad Educativa Hispanoamericana en el mismo municipio. El artefacto le detonó a uno de los guardias de la institución al momento que lo levantó provocándole heridas, cosa que acallaron las autoridades educativas y los medios de comunicación locales, los cuales dijeron que el artefacto había detonado sin dejar heridos y solo daños materiales.

– EL 19 de Abril el “Grupo Oculto Furia de Lince” detonaron un artefacto explosivo casero en una de las entradas del Tec de Monterrey Campus Ciudad de México en Tlalpan, sin que se conocieran más detalles.

– El 21 de Abril el grupo “Constelaciones salvajes” abandonó un paquete-bomba dentro de la Universidad Tecnológica Nacional en Buenos Aires, Argentina, sin que supiera mayor detalle dado que las autoridades silenciaron el atentado.

– El 25 de Abril el “Grupo Oculto Furia de Lince”, abandonó un artefacto explosivo de activación electromecánica similar al que detonó en la Comunidad Educativa Hispanoamericana en Ecatepec, pero ahora en la Facultad de Arquitectura en C.U., sin que se conocieran más detalles.

– El mismo día, el mismo grupo abandonó otro artefacto explosivo con un mecanismo similar al otro pero en la Facultad de Ingeniería, específicamente en el edificio A, sin que se conocieran más detalles del mismo.

Todos estos actos los llevaron a cabo los grupos que se mencionaron y que están adheridos a ITS, y que los reivindicamos en nuestro séptimo comunicado el 9 de mayo pasado.

¿Contra quién atentaron?

Los ataques del 25 de Abril en C.U. en específico, fueron simbólica y materialmente contra la UNAM y contra cualquier universitario que se cruzara con los explosivos abandonados, es falsa la información que han desplegado algunos medios de comunicación en donde dicen que los ataques del 25 fueron específicamente en contra el jefe de servicios químicos, mentira.

-¿Cuantos objetivos más tienen?

Nuestro objetivo en concreto es la civilización en su totalidad, las universidades y empresas que generan esclavos para que este sistema siga creciendo, los centros comerciales e instituciones que llenan de basura las mentes de los borregos ciegos directo al matadero (con esto no estamos posicionándonos a favor de las sociedad, de la masa, la cual también contribuye a la destrucción de la Tierra con su simple existencia), atacamos los símbolos de la modernidad, de la religión, de la tecnología y del progreso, atentamos directamente contra los responsables de que esta mancha urbana siga creciendo y devorando los entornos silvestres que aún quedan.

En resumidas cuentas, nosotros, los eco-extremistas estamos en contra del progreso humano, el cual corrompe y degrada todo lo bello que hay en este mundo, el progreso todo lo vuelve artificial, mecánico, gris, triste, nosotros no soportamos eso, por eso es que le hemos declarado la guerra a esta civilización y a su asqueroso progreso desde hace unos años atrás.

-¿Nunca han detenido a un compañero suyo?
En 2011 después de “volar” a los dos catedráticos del Tec de Monterrey campus Atizapán, dijimos que la PGR y demás instituciones de seguridad eran una BURLA y lo seguimos diciendo, no hay, ni ha habido alguno de los nuestros detenido hasta ahora…

-¿Por qué matar?
¿Y porque no?, ¿es pecado?, ¿es un delito?, ¿está mal?, seguro que más de uno dijo que “Sí” en alguna de estas preguntas. Respondemos, para ser claros nosotros matamos porque esto es una GUERRA, por eso, porque no reconocemos más autoridad que la autoridad de nuestras deidades paganas relacionadas a la naturaleza y contrarias al catolicismo y al dios judaico, deidades personales que nos empujan a la confrontación. Matamos porque no reconocemos otra ley que no sean las leyes naturales que lo rigen TODO en este mundo muerto. Matamos porque rechazamos cualquier moral que nos quieran imponer, porque no lo consideramos ni “malo” ni “bueno”, sino como una respuesta desde nuestra individualidad a toda la destrucción que genera el progreso humano.

Dentro del espectro del terrorismo, matar puede ser una estrategia, un llamado, una advertencia para lo que quizás siga…

Pasando al tema central, asesinamos al jefe de servicios químicos de la UNAM para recordarles que podemos atacar en cualquier momento a quien sea dentro de la universidad, para demostrarles que nuestros objetivos se han ampliado, en 2011 nos dedicamos a atacar a los científicos e investigadores, ahora todos los que integran la comunidad universitaria pueden y son un objetivo en potencia, ¿porque?, por el simple hecho de formar parte de la comunidad estudiantil y progresista de la máxima casa de estudios.

Advertimos meses pasados a las autoridades de la UNAM, advertimos que si nuestros ataques seguían siendo silenciados que se atuvieran a las consecuencias, el resultado fue el escandaloso muerto dentro de Ciudad Universitaria como escarmiento.

Nos da igual que haya sido un trabajador, el mismo escandalo hubiera acontecido si el muerto hubiera sido un estudiante o un maestro, o en el mejor de los casos un investigador de renombre, el objetivo, la UNAM, fue golpeado de nueva cuenta, las autoridades desmoralizadas y nosotros con otra muerte en nuestra historia.

-¿Cómo comprueban que fueron ustedes?
Las pruebas están en los hechos, el cuerpo tenía sus pertenencias no fue un robo, el cuerpo fue localizado en un lugar en donde no hay cámaras, eso indica un ataque directo y no otra cosa, ya sabemos que las autoridades capitalinas están preparando sus “investigaciones” tan torpes y faltas de argumentación (como siempre), para indicar que nosotros no fuimos para no alarmar más a la comunidad universitaria.

Teníamos pensado arrancarle el cuero cabelludo como prueba pero no nos fue posible, como escribimos en el comunicado, será para el siguiente.

Usted y todos pueden pensar lo que quieran, que fue un robo, una venganza personal por personas de su barrio, que fue accidental, etc., pero nuestro historial no miente, no somos un grupo nuevo que sale de la nada, y ya ha sido evidenciado con esto y con otros actos que no nos andamos con bromas.

-Si no creen en un mejor mañana, ni son revolucionarios, ¿Qué piden? ¿Cuál es la finalidad de su lucha?
Nosotros no pedimos nada, no tenemos exigencias o “pliegos petitorios”, ¿se puede negociar la perdida de nuestras raíces como humanos naturales que se resisten a la artificialidad de la civilización? Claro que no, no hay negociación ni mesas de dialogo, ni nada de nada.

Nosotros no creemos en las revoluciones pues estás siempre van encaminadas a la “solución de problemas”, a construir algo nuevo y “mejor”, déjenos decirles que la era de las “revoluciones” y de los “revolucionarios” ha terminado, no existe “revolución” alguna que pueda cambiar una cosa negativa por una positiva porque hoy todo está corrompido, porque todo está a la venta, porque lo que rige el mundo en la actualidad no es el poder político sino el económico. Las revoluciones son cosas del pasado y lo hemos entendido muy bien.

Nosotros no queremos solucionar nada, ni proponemos nada a nadie, no queremos cambiar al mundo, ni queremos que se nos una la masa, basta ya de las utopías de secundaria, basta ya de tener en la cabeza que puede haber un mundo nuevo, mira a tu alrededor, el presente está plagado de horrores causados por la misma civilización, por la alienante realidad tecnológica (redes sociales, teléfonos), respira el espeso aire de esta sucia ciudad, mira las vías repletas de automóviles, observa la masa apretujándose en los camiones, en el metro, ve sus caras hartas de lo mismo, el poder económico lo tienen unos pocos, viven con lujos, se revuelcan en billetes y comodidades, los medios de comunicación están vendidos al mejor postor, y surgen los inconformes, y los desaparecen y los asesinan, la tensión social se agrava, y cuando parece que todo va a estallar, todo regresa a la normalidad, o a una normalidad alternativa, por eso nosotros dejamos de creer en un “mejor mañana” porque este presente decadente es lo único que tenemos, y en este presente solo vemos el progreso que avanza sin freno hacia el abismo civilizado.

La civilización está podrida, se corroe cada vez más pero sigue avanzando, que más quisiéramos nosotros que con nuestras propias manos hacerla colapsar, pero esa sería otra finalidad infantil.

Nosotros no apostamos por la caída de la civilización, ni tenemos como finalidad la destrucción de esta, que quede claro.

En el aspecto filosófico somos pesimistas, porque hemos visto que todo lo hermoso para nosotros, que es la naturaleza, se ha perdido, la han destruido y la siguen empujando a la extinción. No nos queda nada porque luchar, excepto por nuestras propias individualidades, nosotros seguimos siendo humanos antes que robots, somos la Naturaleza Salvaje que queda, lo último de lo último, nosotros nos seguimos considerando parte de la naturaleza y no los dueños, los eco-extremistas rescatamos nuestras raíces primitivas, y entre muchas otras cosas está la confrontación, el conflicto que nos ha identificado como gente de esta tierra, hijos del mezquite y del coyote, guerreando contra los que nos quieran domesticar, así como lo hicieron nuestros antepasados más salvajes al no permitir que se les sojuzgara por los europeos a su llegada a la Gran Chichimeca.

Los eco-extremistas somos animales domésticos con sus instintos aún vivos, para muchos seguro que es una “incoherencia” decir que estamos en contra de todo esto y seguir usando tecnología, respondemos que no dudamos en usarla para conseguir nuestros fines inmediatos, eso es un hecho, nos importa un comino caer en presuntas “incongruencias”, así como nos importa nada que nos consideren lo que sea.

Una de las finalidades de ITS y del eco-extremismo en si es el ataque, es devolver los golpes que le han dado a la naturaleza salvaje sin ser galardonados como “revolucionarios”, desinteresadamente guiados por un impulso egoísta.

Los eco-extremistas son como las abejas, las cuales entierran su aguijón para herir a su oponente  (la civilización) dando pelea sabiendo que morirán en el intento, ya que está claro que en esta guerra no saldremos victoriosos.

Esto te parecerá enfermos mentales o desequilibrados, pero mira, el eco-extremismo nihilista es una tendencia que prácticamente “nació” en México, y que algunos individualistas la han tomado como suya en Chile, Argentina y Europa, está claro que no somos los únicos locos…

Quizás hay más preguntas que respuestas, eso es lo único que diremos por ahora.

Lo hecho echo está.

¡Por la internacionalización mafia eco-extremista!

¡Por la defensa extrema de la naturaleza salvaje!

-Individualistas Tendiendo a lo Salvaje-México


Entrevista a Individualistas Tendendo ao Selvagem

O que vocês querem dizer com os ataques de 25 e de 8 de abril?

É preciso esclarecer uma coisa aqui, ITS NÃO foi responsável pelo ataque em 8 de abril na C.U., foi outro grupo que compartilha a mesma tendência do eco-extremismo, mencionamos ele em nosso último comunicado para evidenciar que as autoridades universitárias acalmaram ditos ataques.

Por outro lado, o ataque de 25 de abril na C.U., foi parte de uma coordenação entre grupos de ITS no México, Chile e Argentina.

Dedicamos todo o mês de abril a essa coordenação de ataques, os quais foram:

– Em 6 de abril a “Horda Mística do Bosque”, abandonou um artefato incendiário dentro da Faculdade de Ciências Físicas e Matemáticas da Universidade do Chile, em Santiago. Embora o artefato tenha sido encontrado antes de ser ativado, uma grande comoção foi gerada na comunidade universitária do país dos terremotos.

– Em 12 de abril o grupo “Ouroboros Silvestre”, detonou um explosivo em frente a Universidade de Ecatepec, no Estado do México, esta a poucos metros da Câmara Municipal localizada em pleno centro de San Cristóbal. Neste caso o artefato explodiu com sucesso sem que se soubessem mais detalhes.

– No mesmo dia o mesmo grupo abandonou um artefato explosivo de ativação eletromecânica na Comunidade Educativa Hispano-americana no mesmo município. O artefato detonou em um dos guardas da instituição no momento em que ele o ergueu e provocou-lhe ferimentos, acontecimento que as autoridades educativas e os meios de comunicação local acobertaram, os quais disseram que o artefato havia detonado sem deixar feridos e apenas danos materiais.

– Em 19 de abril o “Grupo Oculto Fúria de Lince” detonou um artefato explosivo caseiro em uma das entradas da Tec de Monterrey – Campus Cidade do México, em Tlalpan, sem que mais detalhes fossem conhecidos.

– Em 21 de abril o grupo “Constelações Selvagens” abandonou um pacote-bomba dentro da Universidade Tecnológica Nacional em Buenos Aireis, Argentina, sem que se soubessem maiores detalhes, pois as autoridades silenciaram o atentado.

– Em 25 de abril o “Grupo Oculto Fúria de Lince”, abandonou um artefato explosivo de ativação eletromecânica similar ao que detonou na Comunidade Educativa Hispano-americana em Ecatepec, mas dessa vez na Faculdade de Arquitetura na C.U., sem maiores detalhes.

– No mesmo dia, o mesmo grupo abandonou outro artefato explosivo com um mecanismo similar ao outro, mas, na faculdade de Engenharia, especificamente no edifício A, sem que mais detalhes fossem conhecidos.

Todos estes atos foram realizados pelos grupos mencionados e que estão associados a ITS, e que foram reivindicados em nosso Sétimo Comunicado em 9 de maio passado.

Contra quem atentaram?

Os ataques de 25 de abril na C.U., em particular, foram simbólicos e materiais contra a UNAM e contra qualquer universitário que cruzasse com os explosivos abandonados. É falsa a informação que propagaram alguns meios de comunicação onde dizem que os ataques de 25 foram especificamente contra o chefe de serviços químicos, é mentira.

Quantos mais objetivos vocês tem?

Nosso objetivo em específico é a civilização como um todo, as universidades e empresas que geram escravos para que este sistema continue a crescer, os shoppings e instituições que enchem de lixo as mentes das ovelhas cegas que rumam direto ao abate (com isso não estamos nos posicionando a favor da sociedade de massas, a qual também contribui com a destruição da Terra com a sua simples existência), atacamos os símbolos da modernidade, da religião, da tecnologia e do progresso, atentamos diretamente contra os responsáveis por esta mancha urbana que segue se expandindo e devorando os entornos silvestres que ainda restam. Em suma, nós, os eco-extremistas, estamos contra o progresso humano, o qual corrompe e destrói toda a beleza que há neste mundo, o progresso converte tudo em artificial, mecânico, cinzento, triste. Nós não suportamos isso e esse é o motivo pela qual declaramos guerra a esta civilização e seu asqueroso progresso já há alguns anos.

Nunca prenderam um companheiro de vocês?

Em 2011 depois de “mandar pelos ares” a dois professores da Tec de Monterrey – Campus Atizapán, dissemos que a PGR e demais instituições de segurança eram uma PIADA e ainda seguimos dizendo. Nenhum dos nossos foi detido até agora…

Por que matar?

E por que não? É pecado? É um crime? É errado? Com certeza mais de uma pessoa disse “sim” em alguma destas perguntas. Respondemos. Para ser claros, nós matamos porque isso é uma GUERRA, pelo motivo de não reconhecermos mais autoridade que a autoridade de nossas deidades pagãs relacionadas à natureza e contrárias ao catolicismo e ao deus judaico, deidades pessoais que nos empurram para o confronto. Matamos porque não reconhecemos outra lei a não ser as leis naturais que regem TUDO neste mundo morto. Matamos porque rechaçamos qualquer moral que nos queiram impor, porque não consideramos nem “mal” nem “bom”, mas sim uma resposta de nossa individualidade a toda a destruição que gera o progresso humano.

Dentro do espectro do terrorismo, matar pode ser uma estratégia, um chamado, uma advertência para o que talvez possa ocorrer…

Voltando ao tema central, assassinamos o chefe de serviços químicos da UNAM para lembrá-los que podemos atacar a qualquer momento a quem quer seja dentro da universidade, para mostrar que nossos objetivos foram ampliados. Em 2011 nos dedicamos a atacar os cientistas e investigadores, agora todos os que integram a comunidade universitária podem e são um objetivo potencial. Por quê? Pelo simples fato de serem parte da comunidade estudantil e progressista do mais alto local de estudos.

Advertimos meses atrás às autoridades da UNAM, advertimos que se nossos ataques permanecessem sendo silenciados teriam de enfrentar as consequências. O resultado foi a escandalosa morte dentro da Cidade Universitária como um aviso. Tanto faz para nós que tenha sido um trabalhador, o mesmo escândalo houvesse ocorrido se o morto fosse um estudante ou um professor, ou na melhor das hipóteses, um investigador renomado. O objetivo, a UNAM, foi atingido mais uma vez. As autoridades desmoralizadas e nós com mais uma morte em nossa história.

Como podem provar que foram vocês?

As provas estão nos fatos, o corpo tinha seus pertences, não foi um roubo. O corpo foi localizado em um lugar onde não há câmeras, isso indica um ataque direto e não outra coisa. Já sabemos que as autoridades da cidade estão preparando suas “investigações” torpes e com faltas de argumentação (como sempre) para indicar que não foi nós para não assustar ainda mais a comunidade universitária. Havíamos pensado em arrancar o couro cabeludo dele como prova, mas não foi possível. Como escrevemos no comunicado, fica para a próxima. Você e todos podem pensar o que quiserem, que foi um roubo, uma vingança pessoal por pessoas de seu bairro, que foi acidental, etc., mas a nossa história não mente, não somos um grupo novo que vem do nada, e já foi evidenciado com esse e com outros atos que não estamos de brincadeira.

Se não acreditam em um amanhã melhor nem são revolucionários, o que pedem? Qual é a finalidade de sua luta?

Nós não pedimos nada, não temos exigências ou “folhas de petição”. Se pode negociar a perda de nossas raízes como seres humanos naturais que estão resistindo à artificialidade da civilização? Claro que não, não há negociação nem mesas de diálogo ou qualquer outra coisa.

Nós não acreditamos nas revoluções, afinal sempre visam a “solução de problemas”, a construir algo novo e “melhor”. Deixe-nos dizer, a era das “revoluções” e dos “revolucionários” acabou, não existe “revolução” alguma que possa mudar uma coisa negativa por uma positiva porque hoje tudo está corrompido, porque tudo está à venda, porque o que rege o mundo na atualidade não é o poder político, mas o econômico. As revoluções são coisas do passado e nós entendemos isso muito bem.

Nós não queremos resolver nada, nem propomos nada a ninguém, não queremos mudar o mundo, nem queremos nos unir à massa. Chega das utopias secundárias, chega de ter em mente que possa haver um mundo novo. Olha ao seu redor, o presente está repleto de horrores causados pela mesma civilização, pela alienante realidade tecnológica (redes sociais, celulares, etc.), respira o espesso ar desta suja cidade, olha as pistas repletas de carros, observa a massa se espremendo nos ônibus, nos metrôs, veja suas caras cansadas da mesmice. O poder econômico poucos o tem, vivem no luxo, se afundam em notas e comodidades, os meios de comunicação estão vendidos à melhor oferta, e surgem os não-conformistas, e desaparecem com eles e os assassinam, a tensão social se agrava, e quando tudo parece que irá explodir, a normalidade retorna, ou tudo se vai a uma normalidade alternativa. Por isso nós deixamos de acreditar em um “amanhã melhor”, porque este presente decadente é o único que temos, e neste presente apenas vemos o progresso que avança sem freio em direção ao abismo civilizado.

A civilização está podre, cada vez mais se corrói, porém segue avançando. O que mais iríamos querer senão fazê-la colapsar com nossas próprias mãos? Mas isso seria outro propósito infantil.

Nós não apostamos na queda da civilização, nem temos como finalidade a destruição desta, que fique claro.

No aspecto filosófico somos pessimistas, porque vimos que todo o belo para nós, que é a natureza, se perdeu, a destruíram e seguem empurrando-a à extinção. Não nos resta nada pelo que lutar, exceto por nossas próprias individualidades. Nós seguimos sendo humanos ao invés de robôs, somos a Natureza Selvagem que resta, o último dos últimos, nós continuamos nos considerando parte da natureza e não os donos. Os eco-extremistas resgatamos nossas raízes primitivas, e entre muitas outras coisas está a confrontação, o conflito que nos identificou como pessoas desta terra, filhos da algaroba e do coiote, guerreando contra os que nos queiram domesticar, assim como fizeram nossos antepassados mais selvagens ao não permitir serem subjugados pelos europeus a sua chegada na Grande Chichimeca.

Os eco-extremistas somos animais domésticos com seus instintos ainda vivos. Para muitos é certeza que é uma “incoerência” dizer que estamos contra tudo isso e continuar usando tecnologia. Respondemos que não hesitamos em usá-la para conseguir nossos fins imediatos, isso é um fato, nós nos importamos com um caminho cair em supostas “inconsistências”, assim como não nos importamos com nada que nos considerem o que quer que seja.

Uma das finalidade de ITS e do eco-extremismo em si é o ataque, é devolver os golpes que deram à natureza selvagem sem ser homenageados como “revolucionários”, desinteressadamente guiados por um impulso egoísta.

Os eco-extremistas são como as abelhas, as quais fincam seu ferrão para ferir a seu oponente (a civilização), lutando sabendo que morrerão tentando, já que está claro que nesta guerra não sairemos vitoriosos.

Isso vai parecer que somos doentes mentais ou desequilibrados, mas olha, o eco-extremismo niilista é uma tendência que praticamente “nasceu” no México, e que alguns individualistas tomaram como sua no Chile, Argentina e Europa, está claro que não somos os únicos loucos…

Talvez há mais perguntas que respostas, isso é tudo que diremos por agora. O que está feito está feito.

Pela internalização da máfia eco-extremista!
Pela defesa extrema da natureza selvagem!

Individualistas Tendendo ao Selvagem – México


INTERVISTA CON LE ITS

-A che cosa vi riferite con gli attacchi del 25 e 8 aprile?

Chiariamo subito che ITS non è responsabile dell’attacco dell’8 Aprile nella Città Universitaria, è stato un altro gruppo che condivide la stessa Tendenza dell’Eco-Estremismo. Questo lo abbiamo menzionato nel nostro ultimo comunicato per evidenziare che le autorità universitarie hanno censurato gli attacchi.

D’altra parte, l’attacco del 25 Aprile nella Città Universitaria, è stato parte di una coordinazione tra gruppi di ITS in Messico, Cile e Argentina.

Tutto il mese di Aprile lo abbiamo dedicato alla coordinazione degli attacchi, che sono stati:

– il 6 Aprile l”Orda Mistica del Bosco”, ha abbandonato un artefatto incendiario-trovato prima di attivarsi- dentro la Facoltà di Scienza Fisica e Matematica dell’Università del cile a Santiago,e che ha generato gran confusione nella comunità universitaria del paese dei terremoti.

– Il 12 Aprile il gruppo “Uroboro Silvestre”, ha detonato un ordigno esplosivo di fronte all’Università di Ecatepec, nello Stato del Messico, questo a pochi metri dal palazzo municipale ubicato in pieno centro di San Cristobal. In questo caso l’artefatto è esploso con successo, senza per altro conoscerne i dettagli.

– Sempre quel giorno lo stesso gruppo ha abbandonato un artefatto esplosivo di attivazione elettromeccanica nella Comunità Educativa Ispano-americana nel medesimo municipio. L’artefatto è esploso quando una guardia dell’istituzione l’ha alzato, provocandogli ferite. Le autorità educative e i mezzi di comunicazione locali hanno censurato tutto questo, affermando che l’artefatto è esploso producendo solo danni materiali, ma senza fare feriti.

– Il 19 Aprile il “Gruppo Occulto Furia di Lince” ha detonato un artefatto esplosivo “casero” in una delle entrate del Tec del Campus di Monterrey -Città del Messico -Tlalpan, senza per altro conoscerne i dettagli.

– Il 21 Aprile il gruppo “Costellazioni selvagge” ha abbandonato un pacchetto-bomba dentro l’Università Tecnologica Nazionale a Buenos Aires, Argentina, senza che si possano sapere maggiori dettagli dato che le autorità hanno censurato l’Attentato.

– Il 25 Aprile il “Gruppo Occulto Furia di Lince”, ha abbandonato un artefatto esplosivo di attivazione elettromeccanica simile a quello esploso nella Comunità Educativa Ispano-americana in Ecatepec, ma nella Facoltà di Architettura nella Città Universitaria, senza che si possa conoscerne i dettagli.

– Nel medesimo giorno, lo stesso gruppo ha abbandonato un altro artefatto esplosivo con un meccanismo simile all’altro ma nella Facoltà di Ingegneria, specificamente nell’edificio A, senza che si possa conoscerne i dettagli.

Nel settimo comunicato del 9maggio, sono stati rivendicati tutti questi atti, portati a termine dai gruppi sopra menzionati e che hanno aderito alle ITS.

Contro chi avete Attentato?

Gli attacchi del 25 Aprile nella Città Universitaria -in specifico- furono simbolici e materialmente contro l’UNAM e contro qualunque universitario avesse incrociato gli esplosivi abbandonati. È falsa l’informazione data da alcuni mezzi di comunicazione dove affermano che gli attacchi del 25 furono specificamente contro il capo degli “uffici” chimici.

-Quanti obiettivi avete?

Il nostro obiettivo in concreto è la civilizzazione nella sua totalità, le università e imprese che generano schiavi affinché questo sistema continui a crescere, i centri commerciali e le istituzioni che riempiono di spazzatura le menti degli agnellini ciechi diretti al mattatoio ( con questo non ci stiamo ponendo a beneficio delle società, della massa, dato che anch’essa contribuisce alla distruzione della Terra con la sua semplice esistenza). Attacchiamo i simboli della modernità, della religione, della tecnologia e del progresso. Attentiamo direttamente i responsabili di questa macchia urbana che continua a crescere, e che divora gli ambienti silvestri che ancora resistono.

A conti fatti, noi Eco-Estremisti siamo contro il progresso umano, il quale corrompe e degrada tutta il bello che c’è in questo mondo. Siamo contro tutto il progresso che diviene artificiale, meccanico, grigio, triste. Noi non sopportiamo questo, ed è per questo motivo – da alcuni anni- che abbiamo dichiarato guerra alla civilizzazione e il suo schifoso progresso.

 -Non hanno mai arrestato un vostro compagno?

Nel 2011 dopo aver fatto “saltare“ due professori universitari del Tec di Monterrey nel campus di Atizapán, abbiamo affermato che la PGR ed altre istituzioni di sicurezza sono uno Scherzo, e continuiamo a dirlo. Non c’è, né è stato arrestato nessuno dei Nostri fino ad ora..

-Perché ammazzare?

E perché no? È peccato? È un delitto? È il male? Di Sicuro c’è più di un “Sì” in alcune di queste domande. Rispondiamo, per essere chiari, che ammazziamo perché questa è una GUERRA, per questo, perché non riconosciamo nessuna autorità, al di fuori dell’autorità delle nostre divinità pagane relazionate alla natura e contrarie al cattolicesimo e al dio giudaico, divinità personali che ci spingono all’affronto.

Ammazziamo perché non riconosciamo un’altra legge che non siano le leggi naturali, è che disciplinano TUTTO in questo mondo morto. Ammazziamo perché respingiamo qualunque morale imposta, perché non  consideriamo ammazzare né “brutto” né “buono”, bensì una risposta delle nostre individualità a tutta la distruzione che genera il progresso umano.

Dentro la vasta gamma del Terrorismo, ammazzare può essere una strategia, una chiamata, un’avvertenza per quello che magari succederà..

Passando al tema centrale, assassiniamo il capo degli “uffici” chimici dell’UNAM per ricordare loro che possiamo attaccare in qualunque momento chi è dentro l’università, per dimostrare loro che i nostri obiettivi si sono ampliati: Nel 2011 ci eravamo dedicati ad attaccare gli scienziati e i ricercatori. Ora-tutti quelli che integrano la comunità universitaria possono e sono un obiettivo in potenza. Perché? Per il semplice fatto di essere parte della comunità studentesca e progressista, provenienti dallo stesso principio istitutivo.

Abbiamo avvertito nei mesi passati le autorità dell’UNAM, e abbiamo notato che i nostri attacchi continuavano a essere censurati. Ora- che si conformassero alle conseguenze, dato che il risultato è stato -come monito – l’oltraggioso morto dentro la Città Universitaria.
Per noi non cambia nulla, se il morto è stato un lavoratore, lo stesso oltraggio sarebbe accaduto se il morto fosse stato uno studente o un maestro, o al meglio un ricercatore famoso. L’obiettivo- l’UNAM- è stato colpito ancora con un’altra morte nella nostra storia, e le autorità sono rimaste fottute di nuovo.

-Come fanno a comprovare che siete stati voi?

Le prove sono dentro i fatti. Il corpo, aveva adosso i suoi effetti personali, non è stato un furto. Il “morto” è stato localizzato in un luogo, dove non ci sono camere. Questo indica un attacco diretto e non qualcos’altro. Sappiamo già che le autorità capitoline stanno preparando le loro “investigazioni” tanto rozze e mancanti di argomentazione (come sempre), per indicare che non siamo stati noi ad aver agitato,e questo per non allarmare di più la comunità universitaria.

Come scritto nel comunicato, la nostra idea era quella di strappargli il cuoio capelluto come prova, ma non è stato possibile, sarà per la prossima volta.

Te e tutti gli altri, potete pensare quello che volete: che è stato un furto, una vendetta personale da parte di alcuni abitanti del suo quartiere, che è stato accidentale, etc… ma il nostro curriculum non mente, non siamo un gruppo nuovo che esce dal niente, è evidente che con questo omicidio e gli altri attentati, non scherziamo.

-Se non credete in un domani migliore, né siete rivoluzionari. Che cosa chiedete? Qual’è la finalità della vostra lotta?

Non chiediamo niente, non abbiamo esigenze o “petizioni”. Può essere negoziabile la perdita delle nostre radici come umani naturali che resistono all’artificialità della civilizzazione? Chiaramente no, non ci sono negoziazioni né tavoli di dialogo, né niente di niente.

Noi non crediamo nelle rivoluzioni , che si avviano sempre verso la “soluzione dei problemi”, per costruire qualcosa di nuovo e o di “meglio”. Lasciaci dire che l’era delle “rivoluzioni” e dei “rivoluzionari” è finita. Non esiste “rivoluzione” alcuna che possa cambiare il negativo con il positivo, perché oggi tutto è corrotto, perché tutto è in vendita, perché il mondo Ora è diretto non dal potere politico ma da quello economico. Le rivoluzioni sono il “passato” e noi l’abbiamo capito molto bene.

Noi non vogliamo risolvere niente, né proponiamo niente a nessuno, non vogliamo cambiare il mondo, né vogliamo che si unisca a noi la massa. Basta “vedere” attraverso le utopie, basta credere o pensare che ci possa essere un mondo nuovo. Guarda intorno a te, il presente è piagato dagli orrori causati dalla stessa civilizzazione, dall’alienante realtà tecnologica (reti sociali – telefoni), mentre si respira la spessa aria di una sporca città, mentre si guardano le vie strapiene di automobili, si osserva la massa pressata dentro gli autobus, nella metro, e i loro visi annoiati. Il potere economico è per pochi,che vivono nel lusso, hanno in mano soldi e comodità. I mezzi di comunicazione sono venduti al migliore offerente. Quando escono i disaccordi, la tensione si aggrava, arrivano gli assassini e le sparizioni, e quando sembra tutto esplodere, tutto torna normale, o a una normalità alternativa. Per questo motivo abbiamo smesso di credere in un “migliore domani”, perché il presente decadente, è l’unico che abbiamo,e per questo al presente, vediamo solo come il progresso avanza senza freni verso l’abisso civilizzato.

La civilizzazione è putrefatta, si corrode sempre di più ma continua ad avanzare. Per questo pensare di farla collassare con le nostre mani, è un’infantile finalità.

Che sia chiaro,noi non facciamo scommesse sulla caduta della civilizzazione, né abbiamo come finalità la distruzione della stessa.

Dal punto di vista filosofico siamo pessimisti, perché abbiamo visto che tutto il bello, che per noi è la natura, si è perso, è stato distrutto ed è spinto verso l’estinzione.

Eccetto che per noi come individualità,non ci resta che lottare. Siamo prima esseri umani che robot, siamo la Natura Selvaggia che rimane, gli ultimi dell’ultimo. Noi ci consideriamo parte della natura e non i padroni. Gli Eco-Estremisti riscattano le loro radici primitive, con il conflitto, e questo ci identifica come gente di questa terra, figli del mezquite e del coyote. In guerra contro quelli che ci vogliano addomesticare, come lo fecero i nostri antenati più selvaggi non permettendo di essere soggiogati dagli europei al loro arrivo nella Gran Chichimeca

Gli Eco- Estremisti sono animali domestici con i loro istinti ancora vivi. Per molti sicuramente è “incoerenza” affermare che siamo contro di tutto questo, se continuiamo a usare la tecnologia. Rispondiamo che non abbiamo dubbi nell’usarla per ottenere i nostri fini immediati, e questo è un fatto. Non ci importa un cazzo di cadere in presunte “incongruenze”, l’importante è essere considerati per quello che siamo.

Una delle finalità in sé delle ITS e dell’Eco-Estremismo è l’Attacco, per restituire i colpi che la Natura Selvaggia subisce. Siamo specificatamente guidati dai nostri impulsi Egoisti, e disinteressati al ruolo di “rivoluzionari”.

Gli Eco-estremisti sono come le api: seppelliscono il loro pungiglione per ferire il loro rivale (la civilizzazione) andando allo scontro, sapendo di morire nel tentativo. Poiché è chiaro che in questa guerra non usciremo vittoriosi.

Ti sembrerà un discorso da malati mentali o squilibrati, ma vedi, l’Eco-Estremismo Nichilista è una tendenza che è “nata”- in pratica- in Messico, ed è stata presa in maniera propria dagli Individualisti in Cile, Argentina ed Europa. Chiaramente non siamo gli unici matti…

Ci sono magari più domande che risposte, ma questo è tutto.
Ciò che fatto è fatto. (vedere done)

Per l’internazionalizzazione della Mafia-Eco Estremista!
Per la difesa estrema della Natura Selvaggia!

Individualisti Tendenti al Selvaggio-Messico


Mexican Press Interviews ITS

Interview of the In the Morning (Por La Mañana – EPM) Team with the group, “Individualists Tending Toward the Wild” after its taking responsibility for the murder of José Jaime Barrera Moreno, Head of Services in the Department of Chemistry of the UNAM (National Autonomous University of Mexico)

Found on the Facebook page of Ciro Gómez Leyva, a Mexican journalist

July 1st , 2016

EPM: Why kill?

ITS: Why not? Is it a sin? A crime? Is it bad? Someone certainly said, “yes” to one of those questions.
We respond to be clear that we kill because this is WAR. We do not recognize any other authority but the authority of our pagan deities tied to nature and who against Catholicism and the Judeo-Christian god. These gods push us toward confrontation.
We kill because we do not recognize any other law but the natural laws that govern the whole of this dead world. We kill because we reject all morality that they seek to impose on us. We kill because we consider it neither “good” nor evil” but rather it is a response from our individuality to all of the destruction that human progress generates. Within the specter of terrorism, killing can be a strategy, a call, or a warning for what will follow…

Getting to the main point, we killed the head of Chemical Services of the UNAM to remind people that we can attack anyone at anytime within this university. It is to show that our objectives have widened since 2011. At that time, we targeted the scientists and investigators. Today the entire university community can be and are the target. Why? For the mere reason that they form part of the student community of this institution of higher education devoted to progress.

We warned the UNAM authorities in past months that if our actions continued to be silenced, there would be consequences. The result was this scandalous death within the University City that serves as a lesson. It doesn’t matter to us that it was just a worker. It would have been the same to us if it had been a student, or a teacher, or best case scenario, a renowned scientist. The real target, the UNAM, was struck again, the authorities are demoralized by it, and we have another death to our name.

EPM: How can you prove that this was done by your group?

ITS: The proof is in the facts of the case. There was nothing missing off of his person. It wasn’t a robbery. The body was found in a place where there were no cameras. This indicates a direct assault and that’s it. We know that the Mexico City police is already preparing its incompetent and idiotic “investigation” (like always) to indicate that it wasn’t us in order to not cause alarm among the university community.

We thought of scalping him as proof but that wasn’t possible at the time. As we wrote in our communiqué, that’ll be for next time. You and everyone else can’t think what you like, that it was a common mugging, a personal vendetta by people from his neighborhood, that it was a mistake, etc. But our record doesn’t lie. This isn’t our first time doing this, we have a reputation. We have demonstrated with this and other actions that we aren’t playing around.

EPM: How many targets do you have?

ITS: Our concrete target is all of civilization, the universities and companies that train slaves so that this system keeps growing, as well as malls and institutions that fill minds with garbage and make sheep that go directly to the slaughter. (By that statement we aren’t supporting “mass society,” which by its very existence threatens the Earth with destruction.) We attack the symbols of modernity, religion, technology, and progress. We attack directly those who are responsible for the spread of the urban stain that swallows up the last surviving wild places.

In summary, we, the eco-extremists, are against human progress that corrupts and degrades all that is beautiful in this world: that progress that makes everything artificial, mechanical, gray, and sad. We don’t tolerate it, so we have been at war with this civilization and disgusting progress for some years now.

EPM: They’ve never arrested anyone from your group?

ITS: In 2011, after blowing up two investigators from the Tec of Monterrey Atizapán Campus, we said that the PGR (The Office of the Attorney General) and the other security institutions were a JOKE, and we’ll keep saying it. Up until now, no one from our group has ever been arrested.

EPM: To what are you referring when you mention the attacks of April 25th and 8th?

ITS: We have to clarify here that ITS was NOT responsible for the attack on April 8th at the University City. This was the work of another eco-extremist group from our tendency, and we mentioned it in our last communiqué to show that the university authorities silenced these attacks. On the other hand, the April 25th attack was part of a coordinated operation of ITS groups in Mexico, Chile, and Argentina, namely:

-April 6th: The “Mystical Horde of the Forest” abandoned an explosive device in the Department of Physical Sciences and Mathematics at the University of Chile in Santiago, although they found the device before it exploded. This generated a great deal of commotion among the university community in the country of earthquakes.

-April 12th: The group, “Ouroboros Silvestre” detonated an explosive in front of the University of Ecatepec in Mexico State, only a few meters from the Municipal Palace in downtown San Cristóbal. The device exploded but no further details are known.
The same day the same group abandoned a timed explosive device in the Comunidad Educativa Hispanoamericana in the same municipality. The device exploded and wounded one of the security guards at the institution when he picked it up. This act was silenced by the media and the authorities of the municipality, who stated that the device exploded without any causalities and only resulted in material damages.

-April 19th: The Group “Fury of the Lynx” detonated a homemade explosive device at one of the entrances of the Tec de Monterrey Mexico City Campus in Tlalpan, without more details being known.

-April 21st: The Group, “Wild Constellations” abandoned a package bomb within the National Technological University in Buenos Aires, Argentina. No further details are known due to the silencing of the action by the authorities.

-April 25th: The “Hidden Fury of the Lynx” group abandoned a timed explosive device also at the Comunidad Educativa Hispanoamericana in Ecatepec, but this time in the Architecture Department, which detonated but no further details are known.
The same day, the same group abandoned an explosive device of similar mak in the Engineering Department, specifically in A Building, but further details are not known. All of these attacks were carried out by groups affiliated with ITS and responsibility was taken for them in our seventh communiqué.

EPM: Who were you attacking?

The April 25th attacks in the University City in particular were symbolically and materially against the UNAM and any person in that university who happened to be in the vicinity when the explosives detonated. It’s false what the media is reporting, namely, that the April 25th attacks were against the Chief of Chemical Services in particular. That’s a lie.

EPM: If you don’t believe in a better tomorrow, and are not revolutionaries, what are you asking for? What is the goal of your struggle?

We’re not asking for anything. We don’t have demands and we aren’t petitioning for anything. Can we negotiate concerning the loss of our natural human roots that resists the artificiality of civilization? Of course not. There’s no negotiation here or roundtable talks, none of that. We don’t believe in revolutions because these are always directed to “solving problems, to constructing something “newer and better”. Let’s just say that the era of “revolutions” and “revolutionaries” is over. There is no “revolution” that can change a negative thing into a positive one since all today is corrupted. Everything’s for sale, because what drives the world today is not political but economic power. Revolutions are a thing of the past, and we’ve understood this quite well. We don’t want to solve any problems here, we aren’t proposing anything to anyone. We aren’t trying to change the world, and we don’t want the masses to join us. Enough with the bargain basement utopias! Enough with the thinking that we can have a better world! Look around you, we are surrounded by the horrors created by this civilization, by an alienating technological reality (social media, telephones). We breathe the thick air of this dirty city. The roads full of cars; see the masses pressed up against each other on buses and on the metro. You can see on their faces that they’ve had it up to here with more of the same. Economic power is had by the few; they live in luxury and are surrounded by money and comfort. The media is sold to the highest bidder. If people protest, they are disappeared and killed. Social tensions heighten, and when it seems like things are finally going to explode, it all returns to normal, or another kind of “normal” at the most. That’s why we’ve stopped believing in a better tomorrow, because the decadent present is all we have, and in the present, all that we see is progress without brakes leading us over the civilized cliff.

Civilization is rotten and it keeps corroding but advancing at the same time. We would love it if we could make it collapse with our own hands, but that would be another childish desire. We’re not betting on the collapse of civilization, nor is its destruction one of our goals. Let that be clear.

On the philosophical front we are pessimists since we have seen all that is beautiful to us, namely nature, be lost, and it is being pushed closer to extinction. There’s nothing for us to fight for, except for our own individualities. We continue to be human and not robots. We are the Wild Nature that is left, the last of the last. We continue to consider ourselves part of nature and not its owner. We eco-extremists are rescuing our primitive roots. Among these is confrontation, the struggle that has identified us as the people of this land, sons of the mesquite and the coyote. We are at war with those who seek to domesticate us, just as our wildest ancestors were, who did not allow themselves to be subjugated by the Europeans who invaded the Gran Chichimeca.

Eco-extremists are domesticated animals who still retain their instincts. For most this will surely be “incoherent” as we say all this yet still use technology. We state that we don’t hesitate to use it to achieve our immediate goals. This is a fact, it doesn’t matter to us one bit if we fall into “inconsistencies” here. We don’t care what anyone thinks, really. One of ITS and eco-extremism’s goals is attack, it’s to return the blows that Wild Nature has received without fashioning ourselves as “revolutionaries”. We do this disinterestedly guided by our egoist impulses. Eco-extremists are like the bees that sting leaving the stinger in the victim, knowing that they will die in the process. In this case, the victim is civilization, and we know that we aren’t going to come out of this war victorious.

This will seem to you like we are “mentally disturbed or unbalanced”, but look, nihilist eco-extremism is a tendency that was practically born in Mexico. It has since been taken up by individualists in Chile, Argentina, and Europe. So we’re not the only crazy ones here at least.

Perhaps this leaves more questions than answers at this point, but one thing is clear: what’s done is done.

For the internationalization of the Eco-extremist Mafia! For the extreme defense of Wild Nature! Death to the hyper-civilized!

-Individualists Tending Toward the Wild – Mexico

(es-it-en-pt-tü-ch) REIVINDICACIÓN DEL ASESINATO DE TRABAJADOR DE LA UNAM: DECIMO COMUNICADO DE INDIVIDUALISTAS TENDIENDO A LO SALVAJE

Comunicado publicado el 29 de junio 2016.

Imagenes acá: https://mega.nz/#!pk8UlTpB!tVANbcThPxekw_ElOsBRVMv0HNKILwINsYOzjiQK2Ig

Comunicado de ITS-México haciéndose responsable del asesinato de un trabajador de la UNAM ocurrido ayer por la noche.

Fotos aca:

https://mega.nz/#!pk8UlTpB!tVANbcThPxekw_ElOsBRVMv0HNKILwINsYOzjiQK2Ig

¡Muerte a los hiper-civilizados!

¡Complicidad con la Mafia Eco-extremista/Nihilista!


Anduvimos de caza, la noche de ayer nos convertimos en lobos, nuestra sed de sangre se sació por unos momentos, mientras los demonios de nuestros antepasados se apoderaban de nuestras mentes y de nuestros cuerpos.

Merodeamos Ciudad Universitaria, una de las cunas del progreso humano, lugar donde se forjan las engreídas  mentes profesionales que se han propuesto la vil finalidad de construir un “mejor mañana”, ese “mejor mañana” que está manchado por la destrucción de la Tierra, por la desaparición de los instintos del individuo y por la domesticación de especies.

Nosotros NO creemos en un “mejor mañana”, no somos “revolucionarios” ni nos identificamos con sus ideologías recicladas, somos individualistas-terroristas con objetivos egóicos, políticamente incorrectos, amorales e indiscriminados.

Ciudad Universitaria, lugar en donde últimamente el “Grupo Oculto Furia de Lince” de ITS, y el grupo “Guerra Eco-extremista Guamera” habían atentado, (el 25 y el 8 de Abril de este año respectivamente),  y que las autoridades acallaron sus ataques. Ahora no van a poder acallar esto…

Apuñalamos ayer al jefe de servicios químicos de la Facultad de Química de UNAM,  nuestro cuchillo perforó su carne, músculos y venas, desangrándolo y dejándolo sin vida. Es una pena que no le pudiéramos arrancar el cuero cabelludo como victoria (así como lo hacían nuestros antepasados en guerra), será para el siguiente…

Ya lo habíamos dicho en nuestro primer comunicado en enero de este año, “los heridos y muertos que causemos serán una ofrenda de sangre para la Naturaleza Salvaje”, y no bromeábamos. Ejecutamos a este hombre para demostrar que NO sentimos respeto por la vida de los híper-civilizados universitarios ni de ningún otro, que DESPRESIAMOS sus rutinas, sus normas y su moral, que RECHAZAMOS la igualdad, el progreso humano, la tolerancia, la ciencia, el colectivismo, el cristianismo, el pacifismo, la modernidad y demás cagadas que huelan a domesticación civilizada.

Nadie, ninguna persona dentro de esta pútrida civilización merece consideración, y menos los apestosos progresistas y humanistas que se esconden en las facultades de esta universidad y de otras.

Esta civilización con sus valores y principios que pasan por encima del individuo, con sus trabajos y sus estudios, con sus leyes y sus creencias religiosas, con sus monótonas reglas y su hipocresía, nos ha querido arrancar nuestros instintos más salvajes (en este caso, haciendo que el asesinato sea catalogado como “malo”, siendo este, una consecuencia de una guerra sin moral), pero no lo han logrado y la prueba está en el “homicidio doloso” que hemos ejecutado sin problema alguno.

A cuidarse mejor, estudiantes, docentes, investigadores de la UNAM y otras universidades, que no dudaremos en atacar mortalmente de nuevo…

Continuando con el “Funeral Nihilista” comenzado por “Individualidades tendiendo a lo salvaje” (Its) en 2011, cuando asesinaron de un balazo al biotecnólogo Ernesto Méndez Salinas en Cuernavaca, continuando con la aniquilación de la vida perpetrada por el “Grupúsculo Indiscriminado” en Marzo de este año cuando asesinaron a un estudiante de informática del IPN en Iztacalco.

Que el Eco-extremismo y el Terrorismo Nihilista sigan creciendo en México, Chile, Argentina, Italia y otros lugares.

¡Con la Naturaleza Salvaje de nuestro lado!

Individualistas Tendiendo a lo Salvaje-Ciudad de México

-Mafia Eco-extremista/Nihilista


(MESSICO) DECIMO COMUNICATO DEGLI INDIVIDUALISTI TENDENTI AL SELVAGGIO-MAFIA ECO-ESTREMISTA/NICHILISTA: RIVENDICAZIONE DELL’ASSASSINIO DI UN LAVORATORE DELL’UNAM

Avanziamo, per cacciare. Ieri notte ci siamo trasformati in lupi, la nostra sete di sangue si è saziata per alcuni momenti, mentre i demoni dei nostri antenati si impadronivano delle nostre menti e dei nostri corpi.

Ci aggiriamo furtivamente nella Città Universitaria, una delle culle del progresso umano, un posto, dove le presuntuose menti professionali propongono la vile finalità di costruire un “domani migliore”, quel “migliore domani” che minaccia la distruzione della Terra, la scomparsa degli istinti dell’individuo e l’addomesticamento delle specie.

Noi NON crediamo in un “domani migliore”, non siamo “rivoluzionari” né ci identifichiamo con queste ideologie riciclate, siamo Individualisti-Terroristi con Obiettivo Egoici, politicamente Scorretti, Amorali e Indiscriminati.

Il “Gruppo Occulto Furia di Lince” delle ITS, e il gruppo “Guerra Eco-Estremista Guamera”avevano già Attentato, (il 25 e l’8 di Aprile di quest’anno rispettivamente), nella Città Universitaria. Le autorità avevano nascosto questi attacchi. Ora non possono nascondere questo…

Ieri abbiamo pugnalato il capo dei servizi della Facoltà di Chimica dell’UNAM, il nostro coltello ha perforato la sua carne, i muscoli e le vene, dissanguandolo e lasciandolo senza vita. È per noi un dispiacere non aver potuto strappargli il cuoio capelluto come vittoria, come lo facevano i nostri antenati in guerra, sarà per la prossima volta..

L’avevamo già affermato, e non scherzavamo, nel nostro primo comunicato nel gennaio di quest’anno “i feriti e morti che causiamo sono un’offerta di sangue per la Natura Selvaggia”. Abbiamo ammazzato quest’uomo per dimostrare che non abbiamo rispetto per la vita degli iper-civilizzati universitari né di nessun altro, e DISPREZZIAMO la loro routine, le norme e la loro morale, RESPINGIAMO l’uguaglianza, il progresso umano, la tolleranza, la scienza, il collettivismo, il cristianesimo, il pacifismo, la modernità e altre cagate che odorano di addomesticamento civilizzato.

Nessuno e nessuna persona dentro questa putrida civiltà merita considerazione, e meno i pestilenziali progressisti e umanisti che si nascondono nelle facoltà in questa e altre università.

La civilizzazione con i suoi valori e principi passa sopra l’individuo, con i lavori e i suoi studi, con le leggi e le credenze religiose, con le sue monotone regole e l’ipocrisia, volendoci strappare ai nostri istinti più selvaggi (in questo caso, facendo percepire che l’assassinio è catalogato come “brutto”, poiché questa è la conseguenza di una guerra senza morale), ma non ci riescono e la prova sta nell’”omicidio delittuoso” che abbiamo eseguito senza problema alcuno.

Riguardatevi, lo diciamo a voi, studenti, docenti, investigatori dell’UNAM e delle altre università. Non abbiamo nessun problema nell’attentare mortalmente di nuovo.

Il “Funerale Nichilista” avanza. Nato dalle “Individualità tendendo al selvaggio” (Its) che nel 2011 assassinarono con un colpo al cervello il biotecnologo Ernesto Méndez Salinas a Cuernavaca, e che è proseguito con l’annichilimento e l’assassinio di uno studente di Informatica dell’IPN in Iztacalco, perpetrato dal “Grupúsculo Indiscriminato”, nel Marzo di quest’anno.

Che l’Eco-Estremismo e il Terrorismo Nichilista avanzi nel crescere in Messico, Cile, Argentina, Italia e altri posti.

Con la Natura Selvaggia al nostro fianco!

Individualisti Tendenti al Selvaggio- Città del Messico

-Mafia Eco-Estremista/Nichilista


(MEXICO) ACCEPTING RESPONSIBILITY FOR THE ASSASSINATION OF AN UNAM WORKER: TENTH COMMUNIQUÉ OF THE INDIVIDUALISTS TENDING TOWARD THE WILD

We were on the hunt, and last night we turned into wolves. Our thirst for blood was satisfied for a moment, while the demons of our ancestors took possession of our minds and bodies.

We lurked about the University City, one of the cradles of human progress. This is a place that forms smug professional minds who are devoted to the disgusting purpose of “building a better tomorrow.” This “better tomorrow” is stained by the destruction of the Earth, by the destruction of the instincts of the individual and by the domestication of the species.

We don’t believe in a “better tomorrow”. We aren’t “revolutionaries” nor do we identify with their recycled ideologies. We are individualist-terrorists with egoist purpose. We are politically incorrect, immoral, and indiscriminate.

The University City is the place where most recently the “Fury of the Lynx Clandestine Group” and the “Guamera Eco-Extremist Group” have attacked (April 25th and April 8th, respectively). The authorities silenced these attacks and pretended they didn’t happen. Well, you’re not going to be able to keep this one quiet.

Yesterday we stabbed the Chief of Chemical Services in the Department of Chemistry at the UNAM. Our knife pierced his flesh, his muscles, and veins, bleeding him and leaving him for dead. It’s a pity we couldn’t scalp him (as was the practice of our ancestors in war), but that’ll be for next time…

6cuph01_32878899

We already said in our first communiqué in January of this year that, “the wounded and dead that we inflict will be as a blood offering to Wild Nature,” and we weren’t joking. We executed this man to show that we don’t have any respect for the lives of the hyper-civilized of the university or anywhere else. We despise their routines, their norms and morality. We reject equality, human progress, tolerance, science, collectivism, Christianity, pacifism, modernity, and all of the other shit that reeks of civilized domestication.

No one within this putrid civilization deserves any consideration, least of all the disgusting progressivists and humanists who hide behind the walls of this and other universities.

This civilization wants to eliminate our most wild instincts to impose on us its values that run roughshod over the individual; its work and study; its law and religious beliefs; and its monotonous rules and hypocrisy. In this case, it wants us to consider this murder “evil”, even though it is a result of a war without morality. But they haven’t succeeded, and the proof is in this “painful homicide” that we were able to pull off without a hitch.

Be more careful, students, instructors, and researchers of the UNAM and other universities, since we won’t hesitate to mortally attack again.In continuity with the “Nihilist Funeral” started by the Individualities Tending Toward the Wild (ITS) in 2011, when they shot dead the biotechnologist Ernesto Mendez Salinas in Cuernavaca; and in continuity with the annihilation of the life of a computer science student of the IPN carried out by the Indiscriminate Faction in Iztacalco in March of this year.

May Eco-extremism and Terrorist Nihilism increase in Mexico, Chile, Argentina, Italy, and other places.

With Wild Nature on our side!

Individualists Tending Toward the Wild – Mexico City

Eco-Extremist / Nihilist Mafia


(México) Reivindicação do Assassinato de um Trabalhador da UNAM: Décimo Comunicado de Individualistas Tendendo ao Selvagem (ITS)

Andamos à caça, na noite de ontem nos convertemos em lobos, nossa sede de sangue se saciou por uns momentos, enquanto os demônios de nossos antepassados se apoderavam de nossas mentes e nossos corpos.

Perambulamos pela Cidade Universitária, um dos berços do progresso humano, lugar onde se forjam as presunçosas mentes profissionais que propuseram a desprezível finalidade de construir um “amanhã melhor”, esse “amanhã melhor” que está manchado pela destruição da Terra, pela desaparição dos instintos do indivíduo e pela domesticação das espécies.

Nós NÃO acreditamos em um “amanhã melhor”, não somos “revolucionários” nem nos identificamos com suas ideologias recicladas, somos individualistas terroristas com objetivos egoicos, politicamente incorretos, amorais e indiscriminados.

Cidade Universitária, lugar onde ultimamente o “Grupo Oculto Fúria de Lince” do ITS, e o grupo “Guerra Eco-extremista Guamera” haviam atentado, (em 25 e 8 de abril deste ano respectivamente), e que as autoridades silenciaram seus ataques. Agora não serão capazes de silenciar isto…

Apunhalamos ontem o chefe de serviços químicos da Faculdade de Química da UNAM, nossa faca perfurou sua carne, músculos e veias, fazendo ele sangrar até a morte e o deixando sem vida. É uma pena que não pudemos arrancar o coro cabeludo como vitória (assim como faziam nossos antepassados em guerra), fica para a próxima…

Já havíamos dito em nosso primeiro comunicado em janeiro deste ano, “os feridos e mortos que causaremos serão uma oferenda de sangue para a Natureza Selvagem”, e não estamos de brincadeira. Executamos este homem para demonstrar que NÃO sentimos respeito pela vida dos hiper-civilizados universitários nem de nenhum outro, que DESPREZAMOS suas rotinas, suas normas e sua moral, que RECHAÇAMOS a igualdade, o progresso humano, a tolerância, a ciência, o coletivismo, o cristianismo, o pacifismo, a modernidade e outros dejetos que cheiram à domesticação civilizada.

Ninguém, nenhuma pessoa dentro desta pútrida civilização merece consideração, e muito menos os fedidos progressistas e humanistas que se escondem nas faculdades desta universidade e de outras.

Esta civilização com seus valores e princípios que passam por cima do indivíduo, com seus trabalhos e seus estudos, com suas leis e suas crenças religiosas, com suas monótonas regras e sua hipocrisia, quer arrancar nossos instintos mais selvagens (neste caso, fazendo com que o assassinato seja marcado como “mau”, sendo este, uma consequência de uma guerra sem moral), mas fracassaram e a prova está no “homicídio doloso” que cometemos sem problema algum.

Tenham mais cuidado estudantes, docentes, investigadores da UNAM e outras universidades, que não exitaremos em atacar mortalmente de novo…

Continuando com o “Funeral Niilista” começado por “Individualidades Tendendo ao Selvagem” (its) em 2011, quando assassinaram com um tiro o biotecnólogo Ernesto Méndez Salinas em Cuernavaca, continuando com a aniquilação da vida perpetrada pelo “Grupúsculo Indiscriminado” em Março deste ano quando assassinaram a um estudante de informática do IPN em Iztacalco.

Que o Eco-extremismo e o Terrorismo Niilista sigam crescendo no México, Chile, Argentina, Itália e outros lugares.

Com a Natureza Selvagem do nosso lado!

 Individualistas Tendendo ao Selvagem – Cidade do México

– Máfia Eco-extremista/Niilista


Meksika: Bir UNAM Çalışanı Suikastinin Sorumululuğunun Üstlenilmesi: Yabana Meyleden Bireyciler’in Onuncu Bildirisi

Biz avdaydık, ve dün gece kurda dönüştük. Atalarımızın şeytani zihinleri ve bedenlerinin sahipliğini alarak, kan için susuzluğumuz bir an için memnun oldu.

Biz insanlığın ilerlemesinin beşiği olan, Üniversite Şehri etrafında pusudaydık.  Bu “daha iyi bir yarın inşa” amacıyla adamış olan kendini beğenmiş profesyonel zihinleri oluşturan bir yerdir. Bu “daha iyi bir yarın” bireyin içgüdülerinin yıkımından ve türlerin evcilleştirilmesinden, Yeryüzünün yıkımına dek lekelidir.

Biz “daha iyi bir yarına” inanmıyoruz. Biz ne “devrimciler”‘iz ne de onların geri dönüşümlü ideolojilerini tespit edeceğiz. Biz egoist amaç ile bireyci-teröristiz. Biz politika olarak yanlış, ahlaksız ve gelişigüzeliz.

Üniversite Şehri en son “Vaşak Gizli’nin Öfkesi Grubu” ve  “Guamera Eko-Aşırı Grubu”nun saldırdığı yerdir. Yetkililer bu saldırıları susturdu ve olmamış gibi davrandı.  Eh, bu sessizliği devam ettirecek değiliz.

Dün UNAM Kimya Anabilim Dalı Kimya Hizmetleri Şefini bıçakladık. Bıçağımız onun vücudunu, kaslarını ve damarlarını parçalar, kanlar içinde ve ölü bırakır. Onun kafa derisini(savaşta atalarımızın uyguladığı gibi) yüzmememiz üzücü, fakat bir dahaki sefere olacak…

Zaten “Vahşi Doğaya bir kan adağı olarak sunacağımız yaralama ve ölüyü”, ve şaka yapmadığımızı, bu yılın Ocak ayındaki ilk bildiride söyledik. Üniversite ya da başka bir yerin aşırı-uygar yaşamlarında herhangi bir saygının olmadığını göstermek için bu adamı infaz ettik. Onların rutinlerini, normlarını ve ahlaklarını küçümsüyoruz. Biz eşitliği, insan ilermesini, hoşgörüyü, bilimi, kolektivizmi, dini, pasifizmi, moderni ve uygar evcilleşmenin kokan diğer tüm pisliklerini reddederiz.

Bu kokuşmuş medeniyet içindeki kimse bu ve diğer üniversite duvarları arkasına gizlenen tüm iğrenç ilericiler ve humanistler en azından, hiçbir saygıyı hak etmiyor.

Bu uygarlık bizi birey üzerinde; onların çalışma ve eğitim; hukuk ve dini inançlar; ve monoton kuralları ve ikiyüzlülüğünü kayarlı çalışan kendi değerlerini empoze etmek için en vahşi içgüdülerimizi ortadan kaldırmak istiyor. Bu durumda, ahlak olmaksızın bir savaşın sonucu olmasına rağmen, bu cinayeti “kötü” kabul etmemizi istiyor. Fakat başarılı olamadık, ve kanıt biz sorunsuzca geri çekilmeyi başararak “acı cinayet” oldu.

Öğrenciler, öğretim elemanları ve UNAM ve diğer üniversitelerin araçtırma görevlileri daha dikkatli olun, çünkü biz ölümcül bir saldırı için bir an bile tereddüt etmeyeceğiz. Cuernavaca’da biyoteknolojik Ernesto Mendez Salinas’ı vurmasından, 2011’de Yabana Meyleden Bireyler(ITS) tarafından başlatılan “Nihilist Cenaze” ile süreklilik; ve bu yılın Mart ayında Iztacalco’nun Gelişigüzel Fraksiyon tarafından yürütülen IPN’nin bir bilgisayar öğrencisinin yaşamını yok etme ile devamlılık içinde.

Eko-aşırılık ve terörist nihilizm Meksika, Şili, Arjantin, İtalya ve diğer yerlerde büyümeye devam ediyor. 

Vahşi Doğa ile bizim tarafımızda!

Yabana Meyleden Bireyciler – Meksika Şehri

-Eko-Aşırı / Nihilist Mafya


ZODPOVĚDNOST ZA POPRAVU ZAMĚSTNANCE UNAM/DESÁTÉ KOMUNIKÉ INDIVIDUALISTŮ INKLINUJÍCÍCH K DIVOKOSTI (ITS)

Byli jsme na lovu,minulou noc jsme se proměnili ve vlky. Naše žízeň po krvi byla na okamžik ukojena, zatímco démoni našich předků obsadili naše duše a těla.

Číhali jsme kolem Univerzitního Města, jednoho z kolébek lidského pokroku. Místo, které tvoří samolibé profesionální mínění a které se věnuje nechutnému účelu “budování lepších zítřků.” Tyto “lepší zítřky” jsou potřísněny zničením Země, zničením instinktů jednotlivce a domestikací druhů.

Nevěříme v “lepší zítřky”. Nejsme “revolucionáři” ani se neztotožňujeme s jejich recyklovanými ideologiemi. Jsme individualističtí teroristé s egoistickými záměry. Politicky nekorektní, amorální, a bezohlední.

Univerzitní Město je místo, které v poslední době napadli “Utajená Grupa Běsnícího Rysa” a “Guamera Eko-Extremistická Grupa”(25 dubna a 8. dubna v uvedeném pořadí). Orgány umlčeli tyto útoky a předstírali, že se nic nestalo. No,tohle nebudete schopni umlčet.

Včera jsme pobodali Vedoucího Chemické Služby na Katedře Chemie UNAM. Náš nůž probodl jeho tělo, jeho svaly a žíly a krvácejícího ho nechal zemřít. Je škoda, že jsme ho nemohli skalpovat (jak tomu bylo ve válečné praxi našich předků), ale to nechme pro příště…

Jak už jsme řekli v našem prvním komuniké v lednu tohoto roku, že “postižení zraněním nebo mrtví poslouží jako krvavá oběť Divoké Přírody” nedělali jsme si srandu. Popravením tohoto muže jsme ukázali že nemáme žádnou úctu k životům na hyper-civilizované univerzitě nebo kdekoli jinde. Pohrdáme jejich rutinou,normami a morálku. Odmítáme rovnost, lidský pokrok, toleranci, vědu, kolektivismus, křesťanství, pacifismus, modernost a všechny ostatní sračky, které zavání civilizovanou domestikací.

Nikdo v této prohnilé civilizaci si nezaslouží žádný ohled,nejméně všichni odporní progresivisté a humanisté, kteří se skrývají za zdmi této i jiné z vysokých škol.

Tato civilizace chce zcela odstranit naše divoké instinkty a vnutit nám své hodnoty, které svojí tyranií staví nad jednotlivce,svou práci a studium, své zákony a náboženské přesvědčení a svá monotónní pravidla a pokrytectví. V tomto případě chce abychom tuto vraždu vnímali jako “zlo”, přestože je to výsledek války bez morálky. Ale bez úspěchu,důkazem je toto “bolestivé zabití”, které jsme byli schopni bez problémů provést.

Buďte více opatrní, studenti, učitelé a vědci z UNAM a jiných vysokých škol, protože nebudeme váhat smrtelně zaútočit znovu. V souvislosti s “Nihilistickým Pohřbem” započatým ze strany Individualistů Inklinujících k Divokosti (ITS) v roce 2011, kdy byl zastřelen biotechnolog Ernesto Mendez Salinas ve městě Cuernavaca a v návaznosti na ukončení života studenta počítačové vědy IPN Bezohlednou Frakcí v Iztacalco v březnu tohoto roku.

Nechť Eko-extremismus a Teroristický Nihilismus vzrůstá v Mexiku, Chile, Argentině, Itálii, a ostatních místech.

S Divokou Přírodou na naší straně!

Individualisté Inklinující k Divokosti – Mexiko

Eko-Extremistická / Nihilistická Mafie

Anhangá quem fala com DPR.