Tag Archives: Individualistas Tendiendo a lo Salvaje (ITS)

[PT] (Estados Unidos) Comunicado 90 de ITS

Nossa sede por sangue foi saciada e louvamos Pã, Dionísio e a todo o Desconhecido por nos guiarem nesta ação. Como os predadores da floresta, percebemos o cheiro de nossa vítima e atuamos a partir de nossa fome por sangue humano. Estamos pouco nos fodendo com a moralidade ocidental e todos nossos detratores anarquistas americanos. Regozijamo-nos com a elevação da própria morte desde o fundo dos mares como nossa cúmplice pessoal. Após a ação, comemoramos, fornicando enquanto o doce sangue de nossas vítimas seguia fresco em nossas mãos. Desejando a morte a toda a civilização, nosso grupo de extremistas assassinou alegremente a dois tecno-executivos na Costa Oeste, Tushar Atre y Erin Valenti.

Realizamos os assassinatos por não mais razão do que o simbolismo de ver dois apêndices fracos do sistema tecno-industrial morrendo diante de nós, agonizando e logo inanimados. Não estávamos interessados no dinheiro de Atre, ou seus empregados e como ele os abusava. De qualquer forma, as notícias falsas muito precisas corretamente argumentam que estavam se juntando às pessoas erradas! Nós rimos quando Valenti se excitou pelo fato de ser sequestrada e quando declarava diante de seus pais ter “acordado” horas antes de sua morte! A Pantera Subaquática ficou satisfeita com o sacrifício que ela parece ter aceitado.

Nos aproximamos das duas vítimas gritando “HOKA HEY!” em memória de nossos ancestrais tribais que apenas se mantinham como Chefes de Guerra se o equilíbrio de corpos fosse mantido.

Pela morte de todas as civilizações!

Que o Jaguar Negro suba do mundo subaquático para vingar nossos antepassados e satisfazer nossos desejos de sangue humano!

Pela unificação das Individualidades Selvagens!

Individualistas Tendendo ao Selvagem – Estados Unidos

-A Ira da Natureza

[PT] (Chile) Comunicado 89 de ITS

“De fato, a reivindicação fundamental do anarquismo, a fim de eliminar todo princípio, ordem ou governo –Arkhé–, implica, no entanto, e como apontam os eco-extremistas, na subsistência fundamental do Social, e nisso, do Humano. Frente a isso, como vimos, o eco-extremismo busca exatamente a eliminação do Humano e sua “Regressão” ao “selvagem” e ao “individual”, para erigir o “não-humano”, eliminando assim o dualismo metafísico. É por isso que os Eco-extremistas não se consideram nem atuam como simples anarquistas. Não buscam unicamente a eliminação de todo princípio. O que buscam é a eliminação do sujeito Humano.”

“(…) NÃO, “eles não tem mais animosidade pelas pessoas da Concertación que pelas mesmas pessoas de direita”: para eles dá no mesmo se assassinam a alguém de direita, de esquerda, de cima, de baixo, negro, branco, chinês, judeu, palestino, heterossexual, homossexual, homem ou mulher, criança ou idosos, deficiente ou campeão olímpico, pobre ou rico, burro ou inteligente. Para eles, qualquer Humano civilizado merece estar morto.”

O que é o Eco-extremismo – Análise de “Individualistas Tendendo ao Selvagem

“O mundo é como uma ampulheta, do lado de cima está a civilização, com todas suas rígidas estruturas que buscam garantir a lei e a ordem, sustentadas pelo peso de suas estruturas legais e morais que trabalham para manter o conjunto coeso. O lado inferior é o Caos, e pouco a pouco, a areia vai caindo. Com ela caem todas as ilusões do progresso, todos os sonhos sobre mundos de conforto e segurança. Hoje, o lado superior ainda está cheio o suficiente, mas aos poucos o Caos vai tomando forma. É apenas uma questão de tempo para que o mundo da superioridade humana se dissolva nas ondas eternas de Caos e Selvagismo. Enquanto isso, preferimos desfrutar da queda, ao invés de nos apegarmos como néscios às miragens de uma civilização cuja própria existência se baseia em uma guerra contra o imperturbável avanço do tempo que, como marés selvagens, desfaz tudo gradualmente.”

– Oitava entrevista com ITS.

Chegamos ao momento em que as portas do inferno se abrem e os instintos mais sombrios são liberados. A ameaça invisível se desenvolve agora, em plena luz do dia, roubando, saqueando, queimando…

Nas ruas de Santiago vamos com nossos punhais e nossos artefatos caseiros buscando o caos, e indo direto ao ponto, nos responsabilizados pelos atos mais notórios dos quais participamos no meio dos distúrbios:

– Incêndios indiscriminados de carros de luxo e não luxuosos, pelo menos três queimaram completamente.

– Facadas a um cidadão-herói que tentou colocar militares contra nós com seus gritinhos. Levou algumas estocadas e os deixamos no chão, perdendo sangue, e esperamos que já tenha engrossado a lista de mortos.

– Surra em uma mulher que tentou filmar nossos rostos enquanto incendiávamos alguns carros . Não a matamos para que mais tarde não saíssem por aí nos chamando de machistas e toda essa porcaria, como se nos importássemos com isso.

As forças da terra juntamente com toda a sua misticidade nos despertaram do nosso descanso sussurrando sua anátema em nossos ouvidos: “Que o mundo inteiro arda”, e nós respondemos como antes, dançando entre as chamas que celebram o despertar dos novos guerreiros que se movem como os jovens Klóketen, assim como fizemos lá em 2016 com nossos primeiros atentados.

Nos chamem de fascistas, infiltrados, agentes da desordem, NOS DÁ NO MESMO, somos terroristas extremistas e se tivermos que “nos infiltrar” com os anarquistas para saquear um supermercado ou queimar um ônibus, faremos isso, se tivermos que “nos infiltrar” com militantes da extrema direita e aproveitar o caos para incendiar sinagogas, assim será. Porque somos como a tempestade que se desata sem avisar, como o tsunami que destrói tudo e não faz distinções de classe, de gênero nem nada. Fomos, somos e seguiremos sendo NATUREZA SELVAGEM DESCONHECIDA.

Este é um chamado a todos os provocadores, os psicopatas, aos piores dos piores da sociedade, para que provoquem distúrbios para levar à desestabilização um passo adiante. Sabemos que há anos estas terras geladas do Sul foram o lugar de incontáveis demônios que agora têm sua oportunidade de sair como nós, com o caos entre as mãos para fazer parte desta guerra e desfrutar do desastre vendo como tudo se desmorona.


Saudações de guerra aos “Incitadores do Caos”, um novo grupo de ITS no Chile, que também participou dos distúrbios. A onde quer que estejam, que o Desconhecido os proteja, irmãozinhos!

Sempre do lado do Caos!

Contra o progresso humano e sua suja civilidade!

Individualistas Tendendo ao Selvagem – Chile

– Horda Mística do Bosque

[PT] (Chile) Comunicado 88 de ITS

Incitamos o caos e a destruição e mais uma vez nos aproveitamos da multidão nas manifestações nestas terras do sul, para gerar instabilidade.

Infiltrados no meio da horda alienada e de vândalos encapuzados estivemos andando com um único objetivo: o fogo e a destruição.

Adoramos as chamas ardentes penetrantes e apreciar como tudo arde. A benzina tem sido uma boa aliada. Armados com garrafas de líquido inflamável seguimos queimando tudo, sigilosos e sempre atentos aos nossos afins, dispersos seguimos e seguiremos aqui, observando e rindo das sombras.

Ânimo ao lumpem, bandidos, destruidores, aos delinquentes, saqueadores, ladrões, amorais.

O dia do caos se aproxima e desejamos a morte à cidade e ao progresso humano!

Individualistas Tendendo ao Selvagem – Chile

– Incitadores do Caos

[PT] (México) Comunicado 87 de ITS

Aproveitando o clamor popular, a exigência de justiça, a administração tolerante das autoridades capitalinas e a incompetência da polícia, nós membros de Individualistas Tendendo ao Selvagem nos infiltramos na manifestação de ontem e participamos dos distúrbios gerados no centro da asquerosa Cidade do México.

Mais uma vez o Caos se apoderou das ruas e nossos grupúsculos juntamente com outros antissociais raivosos destroçaram vários alvos ao alcance de suas mãos. Esta não é a primeira nem a última vez que nos infiltramos em uma marcha pacífica, que fique claro que ITS aproveita qualquer oportunidade para desencadear o Caos, a confusão e a desestabilização, não damos a mínima para suas demandas (de quem quer que seja).

Para os sem cérebro, esclarecemos que, esta é uma pequena reivindicação de NOSSA responsabilidade naqueles distúrbios. Com isso não significa que fomos os TOTAIS responsáveis pela bela violência ocorrida há algumas horas, o mérito também é de outros com quem compartilhamos capuzes, suor, provocação e efusividade.

Pelo Oculto e o Desconhecido:

Individualistas Tendendo ao Selvagem – México

(Argentina) El nexo argentino del estallido (anti) social en Chile

De acuerdo con una investigación publicada por un diario argentino, hay datos de Inteligencia de ese país que confirman que hay contactos entre una organización desmantelada a principios de noviembre en Buenos Aires por manejar explosivos, conocida como 22 de Agosto, y bandas violentas que operan en las manifestaciones que se han desarrollado en el país, entre los que se incluye la organización terrorista Individualistas Tendiendo a lo Salvaje (ITS).

El viernes además de la sede de la Universidad Pedro de Valdivia -la Casona Schneider- y la Parroquia de la Asunción, también estuvo en la mira de los violentistas la Embajada de Argentina en Chile y residencia del diplomático José Octavio Bordón, «Fue muy duro. Mientras incendiaban el Rectorado frente a la Residencia y vandalizaban la Iglesia a 50 metros, rompieron portones, ingresaron rompiendo todos los vidrios de la planta baja y los del auto”, relató el embajador al diario argentino Clarín.

Este mismo medio develó que existen lazos entre “los anarquistas que atacaron en Chile y un grupo extremista argentino”., es decir entre el grupo eco terrorista Individualistas Tendiendo a lo Salvaje (ITS) -mismos que se atribuyen haber enviado artefactos explosivos al expresidente de Codelco Oscar Landerretche y al presidente del directorio de Metro, Louis de Grange– y la organización conocida como “22 de Agosto”.

A las tres de la madrugada del pasado 10 de octubre durante un patrullaje en el barrio argentino de Constitución, la policía observó a dos hombres en moto con actitud sospechosa, los siguieron por varias cuadras y en medio del escape sucedió algo inesperado: uno de los delincuentes arrojó una mochila que al chocar con el asfalto explotó. Los funcionarios de seguridad lograron esquivar el ataque y tras una persecución que se prolongó durante 40 cuadras más lograron la detención de los sospechosos.
El incidente no quedó allí, a principios de noviembre la policía detuvo a otros dos sospechosos y cómplices: los jefes de una organización criminal que se dedica a cometer robos y fabricar explosivos caseros, de acuerdo con la investigación llevada adelante por el Juzgado Federal N°9. El procedimiento incluyó la incautación de un “arsenal”, en el que había armas cortas y largas, bombas caseras y dispositivos detonadores, pólvora, cartuchos y pistolas. Además, de tres motos, tres autos con pedidos de secuestro, dinero en efectivo, celulares, notebooks y documentos.

Más tarde se confirmó que los detenidos son parte del Movimiento Popular 22 de Agosto, llamado así por la fecha de la Masacre de Trelew, que consistió en el asesinato de 16 miembros de distintas organizaciones armadas peronistas y de izquierda, presos en un penal de Argentina y capturados tras un intento de fuga en 1972. Uno de los detenidos es líder de la organización, se llama Daniel Rodríguez (56), quien ya había sido llevado a juicio hace diez años por el intento de tomar el Ministerio de Desarrollo Social en La Plata en 2007, que terminó con tres policías heridos.

“El MP 22 de agosto se ubicaba como una organización social, aunque su presencia era más bien escasa. No tiene relación con La 22 de agosto, que es otra organización social, ligada a la Confederación de Trabajadores de la Economía Popular (CTEP), que lidera Juan Grabois. Uno de los dos detenidos de este fin de semana es Daniel Rodríguez, que ya cumplió con una condena a cuatro años de prisión por tenencia de armas, y que tiene como historia conocida el haber impulsado la toma del Ministerio de Desarrollo Social en La Plata, en 2007. O sea que en 12 años registra poca actividad, aunque la poca que se le conoce fue tanto contra el gobierno kirchnerista como el macrista. La página de Facebook de la organización no tiene posteos desde el 22 de junio de 2016, o sea hace más de tres años”, resume una nota del portal Página12.

Según consigna La Nación, los investigadores “sospechan que ese grupo intentaba generar alguna situación de intimidación fuerte, algo que causase suficiente conmoción social como para activar foquismos callejeros como los observados en las últimas semanas en Ecuador y Chile”. En otra publicación del mismo medio indican: “Calificadas fuentes de la investigación confiaron a La Nación que los sospechosos estaban en tratativas con grupos del crimen organizado asentados en la conflictiva zona de la Triple Frontera para comprar material bélico; eventualmente, una fusil pesado con capacidad para disparar munición antiblindados”.

Durante las pesquisas también descubrieron, en una memoria portátil, archivos con «manuales con consejos de combate venezolanos». “Este elemento alimenta la sospecha que la ministra de Seguridad de la Nación, Patricia Bullrich, tomó con valor de certeza una semana antes de las elecciones generales del 27 de octubre, tras los fuertes incidentes frente al consulado de Chile en Buenos Aires durante una manifestación de apoyo a las monumentales protestas trasandinas: que desde Venezuela se fogoneaban levantamientos en la región”, dice el diario, aunque también aclaran que es una hipótesis que aún se encuentra en investigación. Lo relevante en este caso, explican, es la sofisticación y peligrosidad de los materiales con los que contaban para producirlos.
La relación con ITS

De acuerdo con lo revelado por Clarín, “quienes cometieron esos delitos forman parte de ‘satélites’ de organizaciones chilenas que se identifican como ‘terroristas’, aunque no formen parte de ninguna lista oficial que las considere como tales. Esas agrupaciones que generan caos, envían cartas bombas y se adjudican asesinatos e incendios”.

Fuentes a cargo de la investigación del MP 22 de Agosto, aseguraron a ese diario que militantes del ITS de Chile viajaron en los últimos meses varias veces a Buenos Aires, teniendo como “contacto” al 22 de Agosto, entre otras asociaciones anarquistas y sociales que conforman el llamado “grupo guevarista”.

En una investigación previa de El Líbero, se explica que ITS hizo su aparición en Chile el 16 de febrero de 2016, cuando el grupo “Sureños Incivilizados” perpetró un atentado incendiario en contra de un bus del Transantiago. Desde entonces, en el país funcionan tres “células” de ITS: los “Sureños Incivilizados” (SI), la “Horda Mística del Bosque” (HMB) y la “Bandada Inquisidora Vengativa” (BIV), que se han reivindicado incendios, bombazos y amenazas.

El grupo ITS tendría su origen en el año 2011 en México, y contaría, de acuerdo con las versiones entregadas en la web, con organizaciones asociadas en Argentina, Brasil, Reino Unido, Grecia y España.

Al revisar las publicaciones en la que se difunden los mensajes de ITS, el 20 de octubre apareció el comunicado 88 acompañado de fotografías con las estaciones de trenes vandalizadas e incendiadas, así como los trenes y unidades de microbús: “Una vez más nos aprovechamos de la multitud en las manifestaciones de estas tierras del sur, para generar desestabilidad. Infiltrados en medio de la horda enajenada, en medio de encapuchados vandálicos anduvimos nosotros con un único objetivo: el fuego y la destrucción”.

En un escrito, publicado el 18 de noviembre de 2016, hay un párrafo que dice: “La misma situación ocurrió con ITS-Argentina, después de tantos ataques que han realizado desde Febrero, pese a las amenazas que han hecho llegar a la prensa y las amenazas de bomba que han afectado a cientos, pese a que envenenaron decenas de refrescos en este mes, las autoridades han ocultado el hecho de que en Buenos Aires opera OTRO grupo de ITS”.

Además, en su comunicado 82, en el que se reivindican el atentado frustrado contra el Presidente del Metro de Santiago, señalan: “Cruzamos la cordillera como nuestros ancestros que se movían de un lugar a otro por las sierras nevadas para hacer trueques, solo que esta vez no fue un intercambio de alimentos, pieles o ganado, en esta ocasión transamos un artefacto explosivo, así es, una bomba tipo paquete. Artilugio que fue confeccionado por un cómplice artesano de las tierras del oeste, el que, sin duda, y como ha quedado demostrado en atentados anteriores, sabe trabajar muy bien este tipo de mecanismos”. En el mismo texto, recuerdan la explosión contra Landerretche, que a diferencia de la hecha contra De Grange, en esa ocasión sí llegó a explotar.

Clarín recuerda que el ex ministro del Interior de Chile, Andrés Chadwick, confirmó en agosto pasado, que ITS tenía una réplica en Argentina. “Son organizaciones que tienen apoyo, que son implacables, que no respetan a nada, que están dispuestos a correr riesgos con tal de producir daño. No estamos enfrentando a un mero delincuente, sino que a organizaciones que tienen apoyo muchas veces no solo nacional, sino que también del exterior”, apuntó el ex secretario de Estado en una entrevista.

Días más tarde, en un punto de prensa desde La Moneda, Chadwick ratificó sus dichos: «Ellos mismos, públicamente, en esa reivindicación señalaron de que habían hecho o recibido la bomba explosiva desde Argentina e incluso firman esa declaración bajo la expresión ITS Chile-Argentina».

Según Clarín, los encapuchados de ITS, o de otros movimientos que funcionan como sus satélites, como “Horda Mística del Bosque” o la “Bandada Insquisidora Vengativa”, fueron quienes armaron las “barricadas” que impidieron a los carabineros y bomberos acceder al área en donde se encuentra la Embajada de Argentina en Santiago, ubicada en la avenida Vicuña Mackenna.

El diario argentino publicó en noviembre del 2018 que existía un “regreso de la militancia anarquista” para alterar el orden de la reunión del G20. “Ahora se sabe que entre esos grupos se encontraba ITS”, concluyen.

[es] (Estados Unidos) 90 Comunicado de ITS

Nuestra sed de sangre ha sido saciada y alabamos a Pan y Dionisos y todo lo Desconocido por guiarnos hacia esta acción. Como los depredadores del bosque, percibimos el aroma de nuestra víctima y actuamos a partir de nuestra hambre por sangre humana. Nos CAGAMOS en toda la moralidad Occidental y todos nuestros detractores anarquistas Americanos. Nos regocijamos con el alzamiento de la muerte misma desde el mundo Submarino como nuestra cómplice personal. Luego de la acción, celebramos, fornicando mientras la dulce sangre de nuestras víctimas seguía fresca en nuestras manos. Deseándole la muerte a toda la civilización, nuestro grupo de extremistas asesinó felizmente a dos tecno-ejecutivos en la Costa Oeste, Tushar Atre y Erin Valenti. Realizamos los asesinatos sin más razón que el simbolismo de ver a dos endebles apéndices del sistema tecno-industrial yaciendo frente a nosotros primero en agonía, y luego inanimados. No nos importó una mierda Atre y su dinero, o sus empleados y como los abusaba. De todos modos, la muy certera fake news correctamente sostiene que ¡se estaba juntando con la gente equivocada! Nos reímos cuando Valenti se excitó por el hecho de ser secuestrada y cuando declaraba ante sus padres haber “despertado” horas antes de su muerte! La Pantera Submarina estuvo complacida por su sacrificio el cual parece haber aceptado.
Nos acercamos hacia ambas víctimas gritando “¡HOKA HEY!” en memoria de nuestros ancestros tribales quienes solo se mantenían como Jefes de Guerra si el balance de cuerpos se sostenía.

¡Por la muerte de todas las civilizaciones!
¡Que el Jaguar Negro se alze desde el mundo submarino para vengar a nuestros ancestros y satisfacer nuestros deseos de sangre humana!
¡Por la unificación de las Individualidades Salvajes!

Individualistas Tendiendo a lo Salvaje-Estados Unidos
La ira de la Naturaleza

[en] (USA) 90 COMMUNIQUE OF ITS

Enviado al mail.


Our thirst for blood has been satisfied and we praise Pan and Dionysus and all of the Unknowable for leading us to this action. Like the predators of the forest, we caught the sent of our prey and acted from our hunger for human flesh. We SHIT on all Western morality and all of our American anarchist naysayers. We rejoiced as Death itself rose from the Underwater World as our personal accomplices. After the action, we celebrated, fornicating while the sweet blood of our victims remained fresh on our hands. Wishing death to all of civilization, our group of extremists happily murdered two Tech executives in the West Coast, Tushar Atre and Erin Valenti. We conducted the killings for no other reason than the symbolism of seeing two flimsy appendages of the technoindustrial system laying first in agony, and then motionless before us. We gave no fuck about Atre and his money or his employees and how he abused. Although, the very real fake news claims correctly that he was mixed in with the wrong crowd! We laughed as Valenti became aroused at her kidnapping and as she plead with her parents to become awoken in the hours before her death! The Underwater Panther was pleased with her sacrifice which she seems to accepted.
We came before both victims yelling “HOKA HEY!” in the memory of our tribal ancestors who only remained Cheifs of War if the balance of bodies is maintained.

For the death of all civilizations!
May the Black Jaguar rise from the Underwater World to avenge our ancestors and satisfy our urges for human blood!
For the unification of Wild Individualities!

Individualists Tending Toward the Wild-USA
Natures Wrath

(pt) Aponte Mais Alto

Alfredo Bonanno abre sua famosa obra, “O Prazer Armado”, com esta passagem:

“Por que diabos estes benditos meninos atiraram contra Montanelli nas pernas? Não teria sido melhor ter disparado na boca? Claro que sim. Mas, além disso, teria sido mais grave. Mais vingativo e sombrio. Deixar fodida uma besta como esta pode ter um lado mais significativo, mais profundo, que vai além da vingança, do castigo pela responsabilidade de Montanelli, jornalista fascista e servo dos grandes senhores. Aleijá-lo significa forçá-lo a desistir, a lembrar-se. Por outro lado, é uma diversão mais agradável que atirar em sua boca, com pedaços de cérebros saindo de seus olhos.”

Claro, matar alguém é muito mais definitivo que deixá-lo coxo, sem dúvida. E talvez haja também consequências legais envolvidas (peso na consciência?). É como quando algumas pessoas dizem que a vida na prisão é pior que a pena de morte. Há um ponto aí, dependendo da perspectiva do observador. Pessoas inocentes podem ser libertadas, mas não podem ser ressuscitadas. Talvez um fascista coxo possa mudar seus costumes, ou talvez você apenas quer que ele sofra. Talvez você durma melhor à noite sabendo que “só o deixou coxo”. Ler a mente de alguém é um exercício fútil, então pararei por aqui.

Mas por que disparar na cara de um fascista seria mais “grave”, mais “vingativo e sombrio”? (“Ma sarebbe stato anche più pesante. Più vendicativo e più cupo.”) Bonnano passa a falar da piedade dos revolucionários, levando em consideração que a revolução está longe de ser piedosa. Para ele, estão apenas de fofoquinha, para se divertirem contra a máquina cinzenta que busca nos oprimir, e outro monte de blá blá blá insurrecional sobre ter esperança, mas sem realmente ter esperança, lutar, mas se divertir ao mesmo tempo, etc. Tudo se resume em ultrapassar estas dicotomias, e é por isso que a coisa menos grave é mais divertida enquanto que a coisa mais sensível (disparar na cara e eliminá-lo) é de alguma forma a coisa mais moral, o mais “sombrio”, e o menos subversivo.

Mas, de acordo com alguns grandes insurrecionalistas sem insurreição, ainda mais subversivo é não fazer completamente nada e fingir que o mundo “normal”, o mundo em que se vive de fato, o de milhões de pessoas, simplesmente não existe. Veja você, tudo se trata de fugas binárias, bem e mal, revolução e vida real, natureza e civilização, o Eu e Você, o Um e os Muitos, etc., apenas afirmando que não existem. (Isso me lembra a história talvez apócrifa da Rainha Vitória apagando a Bolívia do mapa após o Embaixador de Sua Majestade Real ter sido expulso do país e posto nas ruas montando um burro como forma de humilhação). Veja como tudo se trata da percepção; estar consciente em oposição e ser “inconsciente” (estar acordado* NdT 1, como as crianças dizem nos dias de hoje). E neste sentido, fazer qualquer coisa que se assemelhe remotamente ao terrorismo, violência revolucionária, ou mesmo a violência criminal, é cair nas mãos do Binarismo Opressor. Em sua bolha, se você denuncia o Binário desde o começo, você vencerá e terá transcendido. Sim, eu também sou um bastardo em minha imaginação. Meus amigos imaginários também pensam que sou especial (“Insurrecionalistas sem insurreição” me lembra a caracterização do comunista Bukharin dizendo que o anarquista é um liberal com uma bomba. Você pode fazer a aritmética sozinho). Foi aproximadamente na metade da minha vida, mas ainda posso me lembrar da Ideologia Alemã e processando o jovem Marx, seu ponto principal era que a refutação de algo no abstrato não destrói aquilo no mundo físico. Eu não vou entrar em toda a polêmica do “São Marx”, mas vou tentar citar Teses sobre Feuerbach encima de outra problemática hegeliana que o autor comunista aborda:

“O problema de saber se ao pensamento humano pode ser atribuído uma verdade objetiva não é um problema teórico, mas um problema prático. É na prática que o homem tem que demonstrar a verdade, isto é, a realidade e o poder, a mundanidade de seu pensamento. O litígio sobre a realidade ou irrealidade de um pensamento isolado da prática é um problema puramente escolástico…

A vida social é, em essência, prática. Todos os mistérios que levam a teoria ao misticismo encontram sua solução racional na prática humana e na compreensão desta prática.”

Vamos salvar o leitor de toda a questão de “o ponto está em mudar isso”. Outro marxista (Trotsky?) resumiu o princípio mais sucintamente dizendo algo como (parafraseando): “Quando uma ideia busca o controle das massas, se converte em uma força material.” Não importa se uma ideia é “falsa”, se existe um deus ou não, etc. Deveria importar, mas realmente não é assim. Se as pessoas estão prontas para matar ou morrer por ela, é uma realidade física, pode até ser uma realidade física superior (um deus?). O progresso, por exemplo, pode ser um fantasma sem base na “realidade física”, mas essa ideia criou a Hidrelétrica das Três Gargantas na China: a crença firme na ordem, no futuro, na benevolência da dominação do homem sobre a natureza, νόμος sobre φύσις. Você se negar a lidar com isso e retrair sua própria imaginação e opinião significa simplesmente que você acaba protegido por sua fortaleza de opiniões intransponíveis. Isso parece uma vitória pírrica, se é que alguma vez existiu uma.

Mas vamos voltar ao tiro na perna: não poderíamos dizer que este “prazer” está infectado pela ideologia neo-cristã, como um malware criando um backdoor no software insurrecional? Por que não é divertido ver cérebros escorrendo pelo oco de um olho, mas ver um fascista se contorcendo de dor porque lhe espatifaram a patela é legal? Pode ser que haja medo que te considerem um psicopata por matar alguém, mas regojizar-se por deixar alguém coxo não deveria te catalogar no status de psicopata, é? (explique isso para uma pessoa comum para ver se compram a ideia). Não poderia ter nada a ver com todo o assunto de “Não Matarás”, certo? Ou o monopólio absoluto sobre a vida e a morte que o Rei, o Estado, etc., reivindicaram sobre as pessoas por milênios no contexto europeu? Talvez estas pessoas deveriam começar a ser honestas consigo mesmas, mas provavelmente não o farão. Elas não deveriam se surpreender, em todos os casos, quando algum de seus compas chegue a conclusão de que todo o derramamento de sangue é “fascista”, ou se alguns mais ainda confusos flertam com os “movimentos sociais” que promovem a intervenção do Estado para desarmar todo o mundo.

A moeda humana, mesmo para o mais fervoroso insurrecionalsita, para o traidor da espécie mais entusiasta, é preciosa demais. Não vamos invalidar esta moeda, eles exortam; ao fazê-lo, a pessoa cai no cálculo moral da sociedade. Ao ser imoral, reverencia-se a moralidade, em oposição a ter a atitude correta, a “consciência correta”. Uma percepção tão alta pode tornar a travessia de uma rua um ato revolucionário, pode criar abundância do nada, pode partir o mar. Mas em termos de desafiar o humanismo inerente, o cristianismo inerente a todas as ideologias “radicais”, não podemos fazer isso. Desculpe, não vamos prestar-lhes atenção, e seguiremos com a próxima moda da semana que prometa salvar uma sociedade que não quer ser salva, ou ao menos nosso confortável lugar nela.

Atirar no joelho é atirar nos ramos mais altos. O atacante está claramente perturbado por algo a ponto de usar a violência. Por que você quer ferir essa pessoa? Por que ela tem poder? Quem lhe deu esse poder? Ou quem consente que o tenha? Há mais de “nós” que “deles”, certo? Com quem você realmente está zangado? Você realmente acha que matará a árvore se você podar o suficiente? O que te impede de atirar na raiz? Quando você se vê de frente para o indivíduo e para o coletivo, o que te impede de apontar mais alto, acima dos joelhos, na direção de onde o problema realmente está? Além do bode expiatório para a Massa amorfa que o mantém em sua posição de poder?

Nota do Tradutor:

1. A palavra usada em inglês é “woke”, termo político de origem afro-americana que se refere a uma consciência perceptiva respeito à justiça social e a justiça racial. Nas acepções mais modernas do termo, é usado para falar de consciência social em termos gerais.

[en] (Chile) 89 Communique of ITS

“Indeed, the fundamental claim of Anarchism in order to eliminate any principle, order or government –Arkhé– implies, however, and as the Eco-extremists point out, the fundamental subsistence of the Social, and in that, of the Humane.
Against this, as we have seen, Eco-extremism seeks exactly the elimination of the Human and its “Regression” to “the wild” and the “individual”, to erect the “Non-human”, thus eliminating metaphysical dualism. That is why Eco-extremists do not consider themselves or act as mere anarchists. They do not only seek the elimination of all principles. What they are looking for is the elimination of the Human subject.”

“(…) They DON’T “have more animosity to people who were from the Concertación than to the same people on the right”: they do not care exactly if they kill someone from the right, from the left, from above, from below, black, white, Chinese, Jew, Palestinian, heterosexual, homosexual, male or female, child or elderly, disabled or Olympic champion, poor or rich, dumb or intelligent. For them, any civilized Human deserves to be dead.”
-What is Eco-extremism?
An analysis of “Individualists Tending Towards the Wild”

“The world is like an hourglass, on the side above is civilization, with all its rigid structures that seek to ensure law and order, supported by the weight of its legal and moral frameworks that work to keep the whole cohesive. The lower side is Chaos, and bit by bit, the sand is falling. With it fall all the illusions of progress, all dreams about worlds of comfort and safety. Today, the upper side is still full enough, but little by little, Chaos is taking shape. It is only a matter of time for the world of human superiority to dissolve in the eternal waves of Chaos and Savagery. Meanwhile, we prefer to enjoy the fall, rather than clinging as fools to the mirages of a civilization whose very existence is based on a war against the imperturable advance of time that, like wild tides, gradually undoes everything.”

-Eighth interview to ITS.

We arrive at the moment when the gates of hell open and the darkest instincts are unleashed. The invisible threat unfolds now, in broad daylight, stealing, looting, burning …

We wander on the streets of Santiago with our daggers and our homemade devices looking for chaos, and to go straight to the point, we are awarded the most notorious acts of which we take part in the middle of the riots:

– Indiscriminate arson of luxurious and not luxurious cars, at least three were completely burned.
– We stabbed a wanna-be-hero citizen who tried to alert the army with his screams in order to capture us , with a couple of stabs we left him on the ground, losing blood, we hope that he swelled the list of casualties.
– We beat the crap out of a woman who tried to film us while we were setting some cars on fire, we did not kill her so later we can’t be labeled as machistas and all that garbage, HA! as if we care!

The forces of the earth along with all its mysticity have awakened us from our rest whispering their anathema in our ears: “May the whole world burn”, and we have responded as before, dancing among the flames celebrating the awakening of the new warriors who move like the young Kloketen, just as we did there in 2016 with our first attacks.

They can call us fascists, infiltrators, agents of disorder, WE DON’T CARE, we are extremist terrorists and if we have to “infiltrate” with the anarchists to loot a supermarket or burn a bus we will do it, if we have to “inflitrate” with far right militants and take advantage of the chaos to burn synagogues as it will be. Because we are like the storm that unleashes without warning, like the tsunami that devastates everything and makes no distinctions of class, gender or anything. We were, we are and we will continue to be UNKNOWN WILD NATURE.

This is a call to all agitators, the psychopaths, to the worst of the worst in society, to become part of the riots to take the destabilization one step further, we know that for years these icy lands of the South have It has been the home of countless demons that now have their chance to go out like us, with the chaos in their hands to become part of this war and enjoy the disaster seeing how everything falls apart.

A war salute for the “Chaos Inciters”, a new group of ITS in Chile that also took part in the riots, wherever they may be, may the Unknown keep you safe little brothers!

Always on the side of Chaos!
Against human progress and its filthy civility!

Individualists Tending Towards the Wild- Chile
Mystic Horde of the Forest