Tag Archives: México

[PT] México: Comunicado 77 de ITS: Sobre o Massacre Eco-fascista na Nova Zelândia

Traducción al portugués del comunicado 77 de ITS.

I. Entrada

O choque pelo ataque terrorista que deixou 50 mortos em uma mesquita na Nova Zelândia foi enorme, e igualmente foi o impacto que causou as palavras do autor com seu manifesto. É por isso que senti a necessidade de esmiunçá-las e realizar uma análise sobre o que foi dito, e de passagem, creio que é a oportunidade perfeita para esclarecer de uma vez por todas a diferença entre o eco-extremismo e o eco-fascismo. Os mais inteligentes compreenderão e os que não seguirão nos taxando de eco-fascistas como fazem há tempos. Os descerebrados seguirão escrevendo textos de mil páginas contra nós, editando livros inteiros, realizando eventos para desacreditar a Máfia ITS, mas nós não pararemos as nossas ações nem a nossa propaganda, viemos para ficar, que isso esteja claro!

II. História, Raça e Poder Econômico

Este é o tópico central dos supremacistas de qualquer tipo (brancos, negros, amarelos, etc.), a raça. Dizem que há uma guerra no mundo que é inequivocamente racial, e em parte estão certos. Centrando-nos nos supremacistas brancos, a “causa raça” em muitas partes da Europa é o principal motivo pela qual certos indivíduos ou grupos se armaram até os dentes para defendê-la a todo custo, e isso é lógico devido o sentimento de pertencimento enraizado em várias culturas europeias há séculos. Podemos usar aqui o exemplo da invasão. Na Europa, ao contrário da América, aqueles que chegaram a invadir terrenos estrangeiros foram os governos islâmicos, o Império Otomano tomou à força diferentes territórios europeus e se encrustou economicamente em vários outros. Claro, a invasão trouxe consequências, como por exemplo, doenças, assassinatos, violações, proibições, e uma série de ações que levaram a resistência contra os estrangeiros.

Deixando de lado o politicamente correto é perfeitamente compreensível este ódio pelo estrangeiro que aquelas sociedades cultivaram, já que viveram na pele as amarguras. Para exemplificar ilustro com uma aldeia de brancos que vive da agricultura, onde todos se conhecem, tem suas crenças apegadas à natureza e onde todos vivem relativamente em paz, então ela é perturbada pela chegada de pessoas que não falam o idioma local, que tem cor de pele diferente e que não só querem impor a sua religião, mas assassinar, escravizar e violar. É claro que a resposta lógica seria que as pessoas brancas dos territórios invadidos pelos islâmicos se tornassem hostis, que clamassem por vingança e que sempre que vissem uma pessoa com tais características quisessem assassinar ou expulsar. O mesmo aconteceu na América, exemplifico com uma aldeia de caçadores-coletores e nômades de pele escura que viviam segundo as suas tradições ancestrais, que tinham crenças animistas pagãs apegadas à natureza, onde todos se conheciam e viviam relativamente em paz, então foram perturbados pela chegada de pessoas brancas de olhos azuis e cabelo amarelo, que não dialogavam, pois não tinham o mesmo idioma, que chegaram para impor o catolicismo, queimar as casas, matar os guerreiros e violentar as mulheres. Qual seria a resposta? Conflitos como a Guerra de Mixtón e a Guerra Chichimeca. É por isso que penso que o ódio contra os estrangeiros é compreensível para as pessoas que viveram naqueles tempos. Mas este ódio pode ser válido até os dias de hoje? Digo que ele está aí. Mas é compreensível? Suponho que para os supremacistas brancos ele é. Veja que depois que vários exércitos unidos expulsaram o Império Otomano de territórios europeus de volta às suas terras, passaram-se vários anos e o Oriente Médio se tornou pobre e a Europa rica, então os mesmos sucessores do Império Otomano voltam a “invadir” terras europeias, mas de maneira mais sutil. Isso para aqueles que não esqueceram a história contada acima é um insulto. Mas o tópico central aqui no assunto das invasões não deveria ser a “raça” (já que a “raça” é uma questão secundária e irrelevante, pois todos os seres humanos, sem exceção, são uma mistura de genes, onde a “pureza” fica em segundo plano. Pergunte a um biogeneticista para tirar as suas conclusões), sim a economia, a principal razão do saqueio dos islâmicos na Europa foi o poder econômico e territorial, assim como a principal razão da invasão da Europa na América, África e Oceania, tudo foi igualmente economia e o território conquistado. O que está em jogo aqui então? A supremacia, esta de se acreditar ser melhor que todos os demais e ser o grande conquistador de tudo. A suposta “invasão” e o “genocídio branco” de que fala Brenton Tarrant em seu manifesto é apenas um lixo pestilento.

Quem foram os que saíram da Europa para conquistar territórios? Não foram os brancos portugueses que saíram rumo à África e escravizaram milhares de nativos, os quais depois levaram ao Brasil e outros lugares como mão de obra gratuita? Não foram os brancos espanhóis que realizaram um genocídio de gigantescas proporções e eliminaram povoados inteiros no México, Chile, Argentina, Peru, Uruguai, etc.,? Não foram os brancos franceses que chegaram no Canadá e escravizaram e mataram os nativos que demonstraram resistência? Não foram os brancos ingleses que chegaram na América do Norte e roubaram os territórios dos povos indígenas? Não foram os holandeses brancos que também chegaram a estes territórios e igualmente fizeram atrocidades nestes maravilhosos lugares? Por acaso não foram os brancos (europeus, judeus, etc.) que dividiram o mundo? Não são os brancos os com maior notoriedade no empresariado, meios de comunicação e que são os principais líderes de opinião? Por acaso não é o idioma inglês (dos brancos) o idioma mundial? A história da Europa é atormentada por guerras intermináveis, os europeus são encharcados de uma frenética ambição, sempre quiseram se apropriar de tudo, e conseguiram.

Aqui não estou dizendo que os brancos devem ser nosso objetivo, porque a guerra de ITS não é racial, nós não nos detemos a questões reducionistas como esta, já que para nós a raça é algo secundário sem importância alguma. Para nós os brancos, negros, pardos, amarelos, etc., são uma massa uniforme de humanos que contribui para a expansão desta raça maldita que devasta a natureza e tende ao progresso. É por isso que ITS ataca sem se importar com raças, idade, sexo, nacionalidade, etc. Voltando ao assunto, o que se cabe destacar aqui é que Tarrant está assumindo uma posição indireta de vitimismo, colocando a raça branca como vulnerável sendo que os brancos, como eu disse anteriormente, são os que se apoderaram do mundo há séculos. Nós na América que DEVERÍAMOS nos sentir mais furiosos pelo que vieram fazer aqui, teria de haver grupos armados e terroristas realmente perigosos que matassem europeus brancos e que resgatassem suas raízes nativas, mas não há porque muitas individualidades potencialmente perigosas foram amansadas através de vícios como o álcool, por exemplo, as drogas, pornografia, videogame, tecnologias, religiões judaico-cristãs, grifes, redes sociais, todas as invenções dos brancos (chamem europeus, judeus, cristãos, etc.).

Estes supremacistas brancos dengosos dizem que há um genocídio de sua raça porque os muçulmanos chegam para pedir trabalho, colocam mesquitas em seus bairros bonitos e tranquilos e se casam com mulheres brancas. Mas que chororô! Vocês supremacistas brancos europeus não sabem o que é sofrer um genocídio, não sabem o que é a escravidão, a pobreza, a luta para sobreviver em lugares onde não durariam a porra de um dia. Vocês são iguais os judeus, outros merdas que gemem e repetem até dar nojo o tema do holocausto, sendo que aqui na América os invasores perpetraram massacres ainda maiores e imensuráveis porque a história oficial NÃO põe ênfase nisso. Os invasores assassinaram aldeias inteiras, um grande número de população nativa foi apagada e esquecida, assassinaram milhões de nossos antepassados, e vocês aí se queixando de um ou outro morto? Acusam um genocídio? Filhos da puta, tenham vergonha na porra da cara!

Enfatizo, antes que os idiotas de sempre leiam isso e me julguem, eu NÃO sou antissemita, NÃO sou antieuropeu, NEM antibrancos, MUITO MENOS sou americano-centrista, NEM indigenista, NEM nacionalista, que isso fique claro. Estou apenas expondo a minha postura diante das declarações sem sentido de Terrant e a VERDADE do que acontece no mundo moderno longe do que é politicamente correto. Tentaram nos banir da história oficial, ocultaram verdades inescrutáveis e nos enviaram ao esquecimento progressivo, mas a memória de alguns não falha.

III. Eco-fascismo Vs. Misantropia Eco-extremista

Para muitos, o escritor finlandês Pentti Linkola é uma referência no eco-facismo. Este senhor que leva uma vida simples trabalhando na pesca não comercial tem várias obras onde expôs sua ideologia que hoje em dia muitos tem defendido, especialmente na Europa. As propostas deste senhor vão desde a prática da eugenia até o lançamento de bombas de destruição em massa em grandes cidades, isso para ter um controle populacional e aperfeiçoamento da raça. Ele também aborda o desenvolvimento de tecnologias sustentáveis e a conservação de espécies e ecossistemas, assim como o abandono posterior da própria tecnologia e o regresso a uma vida ao estilo da Idade Média para neutralizar os danos ao meio ambiente que a civilização ocidental moderna tem causado. Tudo isso só será possível, segundo o próprio Pentti, através de uma ditadura que imponha tais propostas de maneira progressiva. Seu discurso pode ser visto refletido na novela “Iron Gates” da Temple ov Blood, embora de uma maneira um pouco exagerada.

Linkola admitiu sentir admiração pela gestão e a consolidação da Alemanha Nazista, que tinha certas características associadas ao que propõe o escritor. Em geral, a doutrina deste senhor com o fardo histórico que traz combina bastante com o sentimento de apropriação nacionalista de muitos europeus, é por isso que bate perfeitamente com o que desejam muitos deles. Agora, após o ato terrorista na Nova Zelândia, Tarrant se tornou um ator importante para esta doutrina, porque ele mesmo se autodefine como eco-fascista e em seu manifesto expressa propostas que coincidem com as ideias de Linkola.

Desde já ITS rechaça energeticamente o eco-fascismo não só porque propõe um modelo político como uma ditadura, (aqui deve-se destacar que igualmente rechaçaríamos se o modelo fosse democrático, socialista, republicano, etc.), mas porque a ideia segue sendo progressista, obviamente pode-se constatar que o eco-fascismo é uma doutrina meramente progressista, já que vai de encontro a uma melhora social e um melhor modo de vida para a própria humanidade, embora sua metodologia e prática pareçam extremas (e são). Ela chega ao mesmo ponto de todas as doutrinas humanistas, progredir como espécie. Então, o eco-fascismo é uma espécie de doutrina “humanista anti-humanista”, já que propõe a eliminação de humanos, mas o mesmo tempo justifica isso para que outros humanos possam viver melhor. Sorte do Thanos (sim, aquele famoso dos quadrinhos).

Nós de ITS não consideramos o futuro de ninguém, ou seja, não queremos um amanhã melhor para as crianças mexicanas ou americanas, ou de qualquer outro canto, nem para os idosos, jovens, adultos, tudo dá no mesmo para nós. Seu futuro é cheio de horrores ou de ignorância imposta que os farão viver uma longa e funesta vida inútil. Nós, ao contrário do eco-fascismo, não somos movidos pela vontade de querer viver um amanhã melhor, o presente é o que temos e ponto. Este presente é uma verdadeira merda, cheira mal e repugna até causar vômito, mas é o que há, é o que temos, e sobre ele nos movemos e atacamos, já que somos o reflexo pestilento de uma realidade que nos sufoca e adoece.

É clara a diferença entre eco-extremismo e eco-fascismo, apenas um imbecil ou uma imbecil não percebe isso, embora não podemos esperar muito de pessoas que experimentam uma severa crise de identidade e que sequer sabem o que são, se são homens ou mulheres, e que para evitar confrontações existenciais pueris omitem seu próprio gênero com um “e” ou um “x”.

IV. Anarquismo, o gerador de “monstros”

Em sua seção “Repostas a Possíveis Perguntas”, o autor de “The Great Replacement” escreve:

“Você sempre teve esta visão?

– Não, quando eu era jovem fui comunista, depois anarquista e, finalmente, um libertário, para depois me tornar um eco-fascista”.

Para todos aqueles anarquistas que se escandalizaram pelo que foi perpetrado por este sujeito, que saibam bem disto, este “monstro” chegou a este ponto após um processo ideológico que veio tanto do comunismo como do anarquismo, e vejam o que eles geraram! O mesmo acontece deste lado, viemos do anarquismo e vejam o que nos tornamos, uns sociopatas com o desejo de destruir tudo e matar até mesmo os defensores de nossas ideias passadas!

Vejam o que o anarquismo gerou, misantropos, assassinos e terroristas como Ravachol, Di Giovanni, Galleani, Mario Buda, Mauricio Morales, ITS. Obrigado, anarquismo, muito obrigado! E isso falando dos monstros que saíram da esquerda, agora se falarmos dos monstros que saíram do anarquismo para a extrema-direita podemos mencionar o próprio Tarrant e até a Benito Mussolini, lembram? Pois ele em sua juventude foi um ativo partidário da ação direta anarquista na Itália. Anos depois foi inspirado por suas próprias aventuras juvenis derrotando opositores para a criação dos Camisas Negras, aqueles que venceram comunistas opositores ao fascismo. Mas que história, não?

É curioso, Tarrant se tornou o protagonista principal de um dos maiores massacres perpetrados pelos supremacistas brancos, o próprio Tarrant que anos atrás era um anarquista e que talvez odiasse os supremacistas e que também provavelmente jurava lealdade a seu complexo apátrida. Mas quantas voltas dá a vida!

V. Fechamento

O atentado de Tarrant marcou a história contemporânea e será o propulsor de futuros atentados na Europa e Estados Unidos. Haverá consequências, já que o Estado Islâmico (reduzido agora a status de guerrilha), e a Al Qaeda no Magreb Islâmico prometeram vingança e incitaram seus lobos solitários a atacar supremacistas brancos. Certamente ITS celebra tudo isso, não nos importa as lágrimas dos muçulmanos massacrados, nem as lágrimas das futuras vítimas dos extremistas islâmicos, o atentado de Tarrant trará Caos e desestabilização e se isso acontece, será bem-vindo.

Pela chegada do Caos em lugares impensáveis!
Despertando as forças do Oculto que vagam por todas as partes!
Igrejas, templos, mesquitas, todas tem que queimar!

Chicomoztoc

Xale.

Individualistas Tendendo ao Selvagem – México

[en] (Mexico) 77 Communique of ITS

I. Opening

The shock for the terror attack that left 50 killed in a New Zealand mosque has been enormous, as well as the impact caused by the perpetrator’s manifesto, so I felt the need to break down and make an analisis about the aforementioned, and by the way, I think is the perfect chance to finally set clear the differentiation between eco-extremism and eco-fascism, those who are smart enough will understand, those who are not, will continue labeling us as eco-fascists as they have been doing for a while, those brainless people will continue talking, writing thousand pages texts against us, publishing books, organizing events to discredit the ITS Mafia, but we will not stop neither our actions nor our propaganda, we are here to stay, that’s for sure!

II. Hisotry, race and economical power

Race is the main topic for supremacists of any kind (whites, blacks, brown, yellow, etc.), according to them, there is, without any doubt, a global racial war, and they are partially right about that. Focusing in white supremacists, the cause of the race in many places of Europe is the main force that make certain individuals or groups to arm theirselves to the teeth to defend it whatever it takes, and this is somehow logic having in mind the feeling of belonging arraigated in several european cultures since centuries ago, as an example of this we can see the invasions of Europe by islamic powers. The Otoman Empire took by force several european territories and raid the economy of many others, of course, that invasion bring consequences, diseases, murders, rapings, bans and a serie of actions that lead to the resistance against the invaders. Removing from ourselves the political correctness is quite understandable the hate against the extrangers that inherited those societies who live that in their own flesh, for example, a village of white people in wich all of the have an agricultural based life, in wich everyone knows each other, have beliefs attached to nature and they live relatively in peace is perturbed by the arrival of people who do not speak the same languaje, with a different skin color and that comes not only to impose their religion but also to kill, enslave and rape, the logical answer of those white people living on islamic controlled territory would be hostility towards the invaders, to claim for revenge and that every time that they see someone with such characteristics want to kill him or kick him out. The same happened in America, a village of hunters-gatherers and nomads of brown skin people who live according to their ancestral traditions, that have animist pagans beliefs attached to nature, in wich everyone knows each other and live relatively peace and harmony is perturbed by the arrival of white people, with blue eyes and blond hair wich do not come to open a dialog, as they do not speak the same languaje, they come to impose catholicism, burn down their homes, kill the warriors and rape the women, what would be the answer? Conflicts like Mixton War and Chichimeca War, among others.
This is why I think that hate against extrangers is understandable for the people that live back in that days, but well, Can this hate still being valid in the current days? As we can see, yes it is, but is compressible? I guess that for white supremacists it is, even after several united armies kick out the Otoman empire from european lands and put them back in their place, after hunders of years have passed and the Middle East became poor and Europe rich, that the same successors of the Otoman empire come again to “invade” Europe but in a more sutile way, is like an insult for those who do not forget the aforementioned history.
But the main reason here on the topic of invasions is not the race (as race is a secondary and irrelevant issue, as all human beings without exception are a mix of genes in wich “purity” is something irrelevant, ask a biogenetic) but economy, the main reason of the islamic raids towards Europe was economical and territorial power, as it was the main reason for the European invasion of America, Africa and Oceania. Then, what is the real motivation? The supremacy of think of yourself as better than the rest and being the great conqueror of everything. The supposed “invasion” and “white genocied” stated by Brenton Tarrant on his manifesto is just a disgusting garbage.
Who were the one that came out from Europe to conquer lands? Weren’t the white portuguese the ones who invaded Africa and enslaved thousands of native peoples, wich later they exported to Brazil and other places as slave labor force? Weren’t the white spanish the ones who carry out a genocide of gigantic proportions and wipe out entire populations in Mexico, Chile, Argentina, Peru, Uruguay, etc.? Weren’t the white french the ones who arrived to Canada and enslaved and killed the native people that were opposing resistance? Weren’t the white english the ones who came to North America and stole the lands from the natives? Weren’t the white dutch the ones who came the last to the repartition of territory and also commit atrocities in those beautiful places? Aren’t the whites (europeans, jews, etc.) the ones who own the world? Aren’t the whites the ones of biggest notoriety within the corporations, mass media and are the main influencers of opinion? Is not the english languaje (of the whites) the global languaje?
The history of Europe is filled with nevereding wars, they are overdosed with a frentic ambition, they always wanted to became the owners of everything, and they manage to archieve it.
Im not saying here that white people should become our main target, as the war of ITS is not a racial war, we do not care about reducctionist issues like that because for us, race is something secondary whithout any importance. For us whites, blacks, browns, yellow, etc. are an uniform mass of humans, wich contribute to the expansion fo this cursed race that devastates nature and tend towards progress, and this is why ITS attacks whithout caring about races, ages, genders, nationality, etc.
Back to the topic, what is worth to mention here is that the author is adopting an indirect position of victimism, showing the white race as vulnerable when the truth is that the whites, as I stared before, are the ones that own the world since centuries ago.
We in America SHOULD be more angry for what they came to do here, there should be armed and terrorists groups really dangerous wich kill white europeas and remember their native roots, but that does not happen because many potentially dangerous individuals have been sedated with their vices, alcohol for example, their drugs, their pornography, their videogames, their technology, their judeo-christian religions, their prestigious brands, their social networks, all of this are invention of whites (europeans, jews, christians, etc.)
Those cry-babies white supremacists tell us that there is a genocide of the white race because muslims come asking for job, build mosques in their nice and quiet neighborhoods and marry white women, what a bullshit! You white european supremacists don’t know what is to suffer a genocide, you don’t know what is slavery, poverty and the struggle for survive in places were you will not last not even a fucking day. You are exactly like the jews, another cry-babies assholes that complain and repeat about the holocaust untill the disgust, when here in America invaders perpetrated the biggest massacre of wich nobody knows because the official history does NOT focus on that, invaders killed entire villages, great numbers of native population were wiped out and forget, thousends of millions of our ancestors were killed, and you complain about some deaths? You talk about genocide? Sons of bitches! Shame on you motherfuckers!
I would like to clarify, before the usual idiots read this and judge me wrong: I am NOT antisemitic, I am NOT anti-european, I am NOT anti-whites, I am NOT american-centrists nor indigenist and I am NOT a nationalist, thats for sure. I’m just exposing my point of view before the non sensical statements of Tarrant and the TRUTH of what is going on in this modern world far away from the political correctness. They wanted to banish us from the official history, they hide obvious realities, they send us to the progressivist forgetness, but still exist some people who have memory.

III. Eco-fascism vs eco-extremist misanthropy

For many people, the finnish author Pentti Linkola is a referent of eco-fascism, this person who live a simple live working on non-commercial fishing have several essays in wich he stated his ideology that in the current days, many have adopted, mainly in Europe. The proposals of this person goes from eugenics to the bombing of the major cities with weapons of mass destrucction, all this in order to have a population control and the improvement of the race. The development of sustainable techonologies and conservation of spcies and eco-systems. The abandoment of techonology and return to a middle-age lifestyle to counter the damage done to the enviroment by the western modern civilization has caused. All this will be archieved, according to Pentti, by a dictatoship that imposes all this bit by bit, those ideas can be reflected in the novel “Iron Gates” of Temple ov Blood, but in a more exagerated form.
Linkola admitted admiration for the management and consolidation of nazi Germany, wich had some close characteristics to autohor’s ideas. In general, the doctrine of this person, with the historical weight that have on it, fit very good with the nationalist feeling of apropiation of many europeans, this is why it fit like a ring on a finger for many of them. Now, after the terror attack in New Zealand, Tarrant has become an importan person for this doctrine, as he describes himself as eco-fascist and on his manifesto wrote statements that match with the ideas of Linkola.
Of course, ITS strongly rejects eco-fascism not only because proposes a political model like a dictatorship (here is worth to mention that we will reject it the same way if the political model were democratic, socialists, republican, etc) but because the idea still being progresist, it can be obviously noticed that eco-fascism is a purely progresist doctrine, as it aims directly to a social improvement and a better way of life for humanity itself, even if its methodology and practices look extremists (and in fact they are), it ending arriving to the same point of every other humanist doctrine, progress as species. So, eco-fascism is rather an “humanist anti-humanist” doctrine, as it propose the elimination of humans but at the same time justifies it by stating that other humans would live a better life, some sort of Thanos (yes, that famous from the comics)
We, ITS, do not have consideration for the future of anyone, that means we do not want a better tomorrow for the children of Mexico or America, or somewhere else, we don’t care at all about children, aged people, youngsters, adults. Their future is filled of horrors and imposed ignorance that will make them live a long a dismal useless life.
We, in oposition to eco-fascism, are not moved by cravings of willing to live better on the future, the present is what we have and thats that. This present is a real shit, stinks and disgusts until makes you throw up but it is what it is, is what we have, we live on this and we attack it from time to time as we are the disgusting reflection of a reality that AGOBIA and makes us sick.

It is clear the diference between eco-extremism and eco-fascism, only a fool don’t see what is in front of his or her eyes, but of course, we cant expect a lot from some people that experiences a sever identity crisis and don’t even know what they are, men and women, and to avoid existencial puerile confrontation omit their own gender with “e” or “x”.

IV. Anarchism, begetter of “monsters”

In “Answers to possible questions”, the author of “The Great Replacement” wrote:

“Did you always had that point of view?
No,when I was young I was a communists, then an anarchists and finally a libertarian to lately become an eco-fascist.”

For all those anarchists that get scandalized by what this person have done, learn this good, this “monster” became what he is now by an ideological process that came both from communism and from anarchism, and look what you breeded!
The same happen here, we came from anarchism and look what we are now, sociopaths willing to destroy everything and kill even the supporters of our old ideas!
Look what anarchism breeded, misanthropes, murderers and terrorists like Ravachol, Di Giovanni, Galleani, Mario Buda, Mauricio Morales, ITS, thank you anarchism, thank you a lot!
And this concerning the monsters that went towards the left, if we talk about the monsters that went towards the far-right we can mention Tarrant and Benito Mussolini, do you remember? So he, back on his young days was an active supporter of anarchist direct action in Italy, years later, he took inspiration from his own juvenile adventures beating up oppositors for the creation of the Black Shirts, those ones that beat to a pulp communists who oppose italian fascism, what an history aye?

Is curious, Tarrant became main protagonist of one of the biggest massacres perpetrated by white supremacists, the same Tarrant the years ago was an anarchist and maybe hate supremacists, and maybe swear allegiance to his complex of stateless, how much changes the life!

V. Closing

The attack made by tarrant marked contemporary history, it will motivate future attacks in Europe and USA, there will be consequences. ISIS (now reduced to a guerrilla) and Al Qaeda of Islamic Magreb promised revenge and are encouraging their lone wolves to attack white supremacists, obviusly ITS celebrate all this, we do not care about the tears of the massacred muslims, neither the tears of the future victims of the islamic extremists, the attack of Tarrant will bring Chaos and destabilization and if it comes, we warmly welcome it.

For the arrival of Chaos to every corner!
Awakening the forces of the Unknown that roam everywhere!
Churches, temples, mosques, all must burn!

Xikomoztok

Xale
Individualists Tending Towards the Wild – Mexico

[en] (Mexico) On the anarcho-calamity

It has to be, it was expectable the reaction of those supossedly oppossed to the system, those anarcho-friars did not step back, they are boasting about their exagerated gabble and their role of judge, that role that they despise so much but at the same time consider appropiate to carry on in some “special” cases. After the ITS international coordination of December2018-January 2019, we crossed the line and now ITS is publicly considered as an international terrorist group, the publico opinion condemn them, as do the cops and as I say, the anarchists also (as it seems from many of the different anarchist currents) do it in the same way. Lately i have seen anarchist of the syndicalist type, those that claim the figure of Durruti but in no case see him as a murderer but a noble revolutionary, carry on events in Chile condemning eco-extremism with their judge hammer, the same happened in the USA and the same is happening also in Spain, but ha!, in this case they are not anarcho-syndicalists but those of the kind anti-civ/insurrectionalist/anti-nanotech/luddists/inclusivists/blablabla, anyway it doesn’t matter, all of them are a miserable progressist garbage that deserves to perish in the worst possible way.

What is happening is that ITS still gaining ground, geographically as well as in the mind of those individualistas who are or tend to be incorrect, and of course, anarchists see on that a serius problem, ITS “steal” their supporters, ridiculize them and make them look like cowards at the moment of jump into the abyss of the attack. Nothing in comparation with their historical ancestors, modern anarchists of today freak out when listening that a TRUE enemy of society detonated a bomb in a public space, leaving several wounded people (as it was the case in Chile), but back in 1892 a group of anarchists detonated a bomb in Plaza Real of Barcelona, yet another public space, leaving numerous civilian casualities, they forget about the deaths and wounded caused by the group of Di Giovanni in Argentina, Bonnot gang in France, Galleani group in USA, the individual actions of Santiago Salvador and Mateo Morral in Spain, but we do not need to go so far back in time, only to mention the civilians wounded (and even killed) left by some “vindicative” actions of CCF and FAI thei hypocrisy, double moral and shocking cowardice of modern anarchists at the time of judging the acts of ITS is exposed.
Of course, anarchist will have a lot to say about this, but their words doesn’t matter, the only thing they are doing is repeat the history with their despicable NGO-style actions, they are forcing a comeback of the old method of solving problems, the one that criminals have always used to solve their issues, the terrorist Severino shooting anarchist Lopez Arango, do you remember? Continue reading [en] (Mexico) On the anarcho-calamity

(MEXHICO) 77 COMUNICADO DE ITS: SOBRE LA MACACRE ECO-FASCISTA EN NUEVA ZELANDA

Enviado al mail.


I. Entrada
La conmoción por el ataque terrorista que dejó 50 muertos en una mezquita en Nueva Zelanda ha sido total, el impacto que ha causado las palabras del autor con su manifiesto de igual forma, por lo que sentí la necesidad de desglosar aquí y realizar un análisis referente a lo anteriormente dicho, y de pasada, creo que es la oportunidad perfecta para dar pie a una definitiva diferenciación entre el eco-extremismo y el eco-fascismo, quien es inteligente lo entenderá, quien no, nos seguirá tildando de eco-fascistas como lo vienen haciendo desde hace algún tiempo atrás, los descerebrados seguirán hablando, escribiendo textos de mil páginas en contra de nosotros, editando libros enteros, haciendo eventos para desprestigiar a la Mafia de ITS, pero nosotros no nos detendremos en nuestro actuar ni en nuestra propaganda, ¡llegamos para quedarnos, que quede claro!

II. Historia, raza y poder económico
Este es el tema central de los supremacistas de cualquier tipo (blancos, negros, morenos, amarillos, etc.), la raza, dicen que hay una guerra en el mundo que es inequívocamente racial, y en parte tienen razón. Centrándonos en los supremacistas blancos, la causa de la raza en muchas partes de Europa es el principal motor que ha hecho que ciertos individuos o grupos se armen hasta los dientes para defenderla a toda costa, y esto es lógico tras el sentimiento de pertenencia arraigado en varias culturas europeas que data de hace siglos, podemos tomar aquí el ejemplo de la invasión, en Europa a diferencia de América, los que llegaron a invadir terrenos ajenos fueron los gobiernos islámicos, el imperio Otomano tomó por la fuerza diferentes territorios europeos e incursionó económicamente en muchos más, desde luego, la invasión trajo consecuencias, enfermedades, asesinatos, violaciones, prohibiciones, y una serie de acciones que llevaron a la resistencia en contra de los extranjeros. Quitándonos de encima lo políticamente correcto es bastante comprensible ese odio por lo extraño que engendraron aquellas sociedades que lo vivieron en carne propia, por poner un ejemplo, una aldea de blancos en donde viven de la agricultura, en donde todos se conocen, tienen sus creencias apegadas a la naturaleza y donde todos viven relativamente en paz es perturbada por la llegada de gente que no habla su idioma, que es de diferente color de piel y que no solo llega a imponer su religión, sino a asesinar, esclavizar y a violar, la respuesta lógica iba a ser que la gente blanca de los territorios invadidos por los islámicos se tornara hostil, que clamaran por venganza y que siempre que vieran a una persona con tales características la quisieran asesinar o expulsar. Lo mismo pasó en América, una aldea de cazadores-recolectores y nómadas de piel morena que viven según sus tradiciones ancestrales, que tienen creencias animistas paganas apegadas a la naturaleza, en donde todos se conocen y viven relativamente en paz, es perturbada por la llagada de personas blancas, con ojos azules y cabello amarillo, no llegan a dialogar pues no tienen el mismo idioma, llegan a imponer el catolicismo, a quemar sus casas, a matar a los guerreros y violar a las mujeres, ¿cuál iba a ser la respuesta? Conflictos como la Guerra del Mixtón y la Guerra Chichimeca entre otras.
Es por eso que pienso que el odio en contra de los extranjeros es comprensible para las personas que vivieron en esas épocas, ahora, ¿ese odio puede estar vigente hoy en día?, digo, lo está, ¿pero es comprensible? Supongo que para los supremacistas blancos lo es, mira que después de que varios ejércitos unidos expulsaran al imperio otomano de territorios europeos y los regresaran a su lugar, después de que transcurrieron cientos de años y que Medio Oriente se volvió pobre y Europa rica, que los mismos sucesores del imperio otomano lleguen de nuevo a “invadir” pero de manera más sutil de nuevo a Europa, es como un insulto para aquellos que no olvidan la historia arriba contada.
Pero la causa central aquí en el asunto de las invasiones no tendría que ser la raza (puesto que la raza es un tema secundario e irrelevante, pues todos los seres humanos sin excepción somos una mescolanza de genes en donde la “pureza” queda en segundo término, pregunta a un biogenetista), sino la economía, la principal razón del saqueo de los islámicos hacia Europa fue el poder económico y territorial, al igual que la principal razón de la invasión de Europa a América, y de Europa a África y de Europa a Oceanía fue la economía y el territorio conquistado. ¿Que está en juego aquí entonces? La supremacía, esa de creerte más que todos los demás y ser el gran conquistador de todo. La supuesta “invasión” y el “genocidio blanco” del que habla Brenton Tarrant en su manifiesto es solo más que una pestilente basura.
¿Quiénes fueron lo que salieron de Europa para conquistar territorios?, ¿no fueron los blancos portugueses que salieron hacia África y esclavizaron a miles de nativos, a los cuales después llevaron a Brasil y a otros sitios como mano de obra gratis?, ¿no fueron los blancos españoles quienes realizaron un genocidio de gigantescas proporciones y eliminaron a pueblos enteros en México, Chile, Argentina, Perú, Uruguay, etc.?, ¿no fueron los blancos franceses que llegaron a Canadá y esclavizaron y mataron a los nativos que les opusieron resistencia?, ¿no fueron los ingleses blancos quienes llegaron a Norte América y se robaron los territorios de los originarios?, ¿no fueron los holandeses blancos quienes llegaron al último a la repartición del territorio e igualmente hicieron atrocidades en estos hermosos lugares?, ¿acaso no son los blancos (europeos, judíos, etc.) los que se repartieron el mundo?, ¿no son los blancos los de mayor notoriedad en el empresariado, medios de comunicación y que son los principales líderes de opinión?, ¿acaso no es el idioma ingles (de los blancos) el idioma mundial? La historia de Europa está plagada de guerras interminables, los empapa una frenética ambición, siempre se han querido apropiar de todo, y lo han conseguido.
Aquí no estoy diciendo que los blancos deben ser nuestro objetivo, pues la guerra de ITS no es racial, nosotros no nos detenemos en cuestiones reduccionistas como esa, porque para nosotros, las razas son algo secundario sin importancia alguna, para nosotros, los blancos, negros, morenos, amarillos, etc., son una masa uniforme de humanos, los cuales contribuyen a la expansión de esta raza maldita que devasta la naturaleza y tiende al progreso, es por eso que ITS ataca sin importar razas, edades, sexo, nacionalidad, etc.
Regresando al tema, lo que cabe destacar aquí es que el mismo autor está tomando una posición indirecta de victimismo, poniendo a la raza blanca como vulnerable siendo que los blancos, como dije arriba, son los que se han apoderado del mundo desde hace siglos.
Nosotros en América NOS tendríamos que sentir más furiosos por lo que vinieron a hacer aquí, tendría que haber grupos armados y terroristas realmente peligrosos que mataran europeos blancos y rescataran sus raíces nativas, pero no los hay porque han amansado a muchas individualidades potencialmente peligrosas con sus vicios, el alcohol por ejemplo, sus drogas, su pornografía, sus videojuegos, sus tecnologías, sus religiones judeocristianas, sus prestigiosas marcas, sus redes sociales, todos inventos de los blancos (llámense, europeos, judíos, cristianos, etc.)
Estos chillones supremacistas blancos dicen que hay un genocidio de su raza porque musulmanes llegan a pedir trabajo, ponen mezquitas en sus bonitos y tranquilos barrios y se casan con mujeres blancas, ¡pero qué mamada! Ustedes los supremacistas blancos europeos no saben lo que es sufrir un genocidio, no saben lo que es la esclavitud, la pobreza y la lucha por sobrevivir en lugares en donde no durarían ni un puto día. Ustedes son igual que los judíos, otros pinches chillones que gimen y repiten hasta el asco el tema del holocausto, siendo que aquí en América los invasores perpetraron las mayores masacres de las que no se tienen una idea porque la historia oficial NO pone énfasis en esto, los invasores asesinaron a pueblos enteros, grandes números de poblaciones nativas fueron borradas y olvidadas, asesinaron a miles de millones de nuestros antepasados, y ¿ustedes se quejan de unos cuantos muertos?, ¿se jactan de genocidio?, ¡hijos de sus putas perras madres, no tienen vergüenza chingada madre!
Enfatizo, antes de que los idiotas de siempre lean esto y me juzguen, yo NO soy antisemita, NO soy antieuropeo, NI antiblancos, TAMPOCO soy americocentrista, Ni indigenista, NI nacionalista, que quede claro, solo estoy dando a conocer mi postura frente al sin sentido de las declaraciones de Tarrant y la VERDAD de lo que pasa en el mundo moderno alejado de lo que es políticamente correcto.
Nos han querido desterrar de la historia oficialista, han ocultado verdades inescrutables, nos han enviado al olvido progresivo, pero abemos algunos que la memoria no nos falla.

III. Eco-fascismo vs misantropía eco-extremista
Para muchos, el escritor finlandés Pentti Linkola es un referente del eco-fascismo, el señor que lleva una vida sencilla trabajando en la pesca no comercial tiene varias obras en donde ha expuesto su ideología que hoy en día, muchos la han acuñado sobre todo en Europa. Las propuestas de este señor van desde la práctica de la eugenesia hasta el arrojo de bombas de destrucción masiva a grandes ciudades, esto para tener un control poblacional y el perfeccionamiento de la raza. El desarrollo de tecnologías sustentables y la conservación de especies y ecosistemas. El abandono de la tecnología y el regreso a una vida al estilo de la Edad Media para contrarrestar los daños al medio ambiente que la civilización occidental moderna ha causado. Todo esto solo será posible, según el mismo Pentti, por medio de una dictadura que imponga todo esto de manera progresiva, su discurso se puede ver reflejado en la novela “Iron Gates” de Temple ov Blood aunque de manera algo exagerada.
Linkola ha admitido sentir admiración por el manejo y consolidación de la Alemania nazi, la cual tenía ciertas características apegadas a lo que propone el escritor. En general, la doctrina de este señor, con la carga histórica que trae detrás combina bastante bien con el sentimiento de apropiación nacionalista de muchos europeos, es por eso que cae como anillo al dedo para muchos de ellos. Ahora, tras el acto terrorista de Nueva Zelanda, Tarrant se ha vuelto un actor importante para esa doctrina, pues él mismo se autodefine como eco-fascista y en su manifiesto expresa propuestas que coindicen con la idea de Linkola.

Desde luego que ITS rechaza enérgicamente el eco-fascismo no solo porque propone un modelo político como una dictadura, (aquí cabe destacar que lo rechazaríamos de igual forma si el modelo fuera democrático, socialista, republicano, etc.), sino porque la idea sigue siendo progresista, a todas luces se puede constatar que el eco-fascismo es una doctrina meramente progresista, pues va directamente a proponer una mejora social y un mejor modo de vida para la humanidad en sí, aunque su metodología y práctica parezcan extremas (y sí que lo son), llega al mismo punto de todas las doctrinas humanistas, progresar como especie. Por lo que, el eco-fascismo es más bien una doctrina “humanista anti-humanista”, pues propone la eliminación de humanos pero al mismo tiempo lo justifica para que otros humanos puedan vivir mejor, una suerte de Thanos (sí, ese famoso de las comics).
Nosotros en ITS no consideramos el futuro de nadie, es decir, no queremos un mejor mañana para los niños mexicanos o americanos, o de cualquier otro lado, los niños, ancianos, jóvenes, adultos, nos dan lo mismo. Su futuro está plagado de horrores o de ignorancia impuesta que los hará vivir una larga y funesta vida inútil.
Nosotros, a comparación del eco-fascismo no nos mueven las ansias de querer vivir mejor en el mañana, el presente es lo que tenemos y punto, este presente es una real mierda, hiede y asquea hasta el vómito pero es lo que hay, es lo que tenemos, sobre este nos movemos y lo atacamos de vez en cuando puesto que somos el reflejo pestilente de una realidad que nos agobia y enferma.

Es clara la diferenciación entre eco-extremismo y eco-fascismo, solo un pendejo o pendeja no ve lo que tiene en frente, aunque claro, no podemos esperar mucho de personas que experimentan una severa crisis de identidad y que no sabe si quiera lo que son, hombres y mujeres, y que para evitar confrontaciones existenciales pueriles omiten su propio género con una “e” o una “x”.

IV. Anarquismo, engendrador de “monstruos”
En su apartado “Respuestas a posibles preguntas”, el autor de “The Great Replacement” escribe:

“¿Siempre has tenido esa visión?”
No, cuando era joven fui comunista, después anarquista y finalmente un libertario para después llegar a ser un eco-fascista.”

Para todos aquellos anarquistas que se escandalizan de lo perpetrado por este sujeto, que sepan bien esto, este “monstruo” llegó aquí tras un proceso ideológico que provino tanto del comunismo como del anarquismo, y ¡miren qué engendraron!
De igual forma pasa de este lado, nosotros venimos del anarquismo y miren en lo que nos hemos convertido, ¡en unos sociópatas con ansias de destruirlo todo y matar hasta los partidarios de nuestras ideas pasadas!
Miren lo que el anarquismo ha engendrado, misántropos, asesinos y terroristas como Ravachol, Di Giovanni, Gualliani, Mario Buda, Mauricio Morales, ITS, ¡Gracias anarquismo, muchas gracias! Y eso hablando de los monstruos que salieron de la izquierda, ahora que si hablamos de los monstruos que salieron del anarquismo hacia la extrema derecha podremos mencionar al mismos Tarrant y a Benito Mussolini, ¿lo recuerdan? Pues él en su juventud fue un activo partidario de la acción directa anarquista en Italia, años después, se inspiró de sus propias aventuras juveniles apaleando opositores para la creación de las Camisas Negras, aquellos que apaleaban comunistas opositores al fascismo italiano, ¿pero qué historia no?

Es curioso, Tarrant se volvió el protagonista principal de una de las mayores masacres perpetradas por los supremacista blancos, el mismo Tarrant que hace años atrás era un anarquista que quizá odiaba a los supremacistas y que quizá juraba lealtad a su complejo de apátrida, pero cuantas vueltas da la vida, ¡chingao!

V. Cierro
El atentado de Tarrant ha marcado la historia contemporánea, será impulsor de futuros atentados en Europa y Estados Unidos, habrá consecuencias, ya el Estado Islámico (que lo han reducido a una guerrilla), y Al Qaeda del Magreb Islámico han prometido venganza y han instado a sus lobos solitarios a atacar supremacistas blancos, desde luego que ITS celebra todo esto, no nos importan las lágrimas de los musulmanes masacrados, ni las lágrimas de las futuras víctimas de los islámicos extremistas, el atentado de Tarrant traerá Caos y desestabilización y si llega, bienvenido sea.

¡Por la llegada del Caos a lugares impensados!
¡Avivando las fuerzas de lo Oculto que deambulan por doquier!
¡Iglesias, templos, mezquitas, todas tienen que arder!

Xikomoztok

Xale
Individualistas Tendiendo a lo Salvaje – México

[PT] México: Sobre a Anarco-calamidade

Traducción al portugués del texto enviado al correo.

Tinha que ser, era óbvia a reação dos supostos opositores do sistema, aqueles frades anárquicos não ficaram para trás, estão fazendo um burburinho exagerado e seguindo com o papel de juízes, aquele mesmo papel que desprezam, mas ao mesmo tempo consideram pertinente tomar partido ante casos “especiais”.

Após a coordenação internacional que ITS fez em dezembro de 2018 e em janeiro de 2019, cruzamos a linha e agora ITS é considerado publicamente como um grupo terrorista internacional, a opinião pública nos condena, assim como a polícia, e como eu digo, os anarquistas (aparentemente de muitas de suas correntes) fazem o mesmo. Ultimamente tenho visto como os anarquistas do tipo sindicalista, daqueles que reivindicam a figura de Durruti, mas de modo algum o enxergam como um assassino, sim como um nobre revolucionário, fazem eventos no Chile condenando e batendo o martelo de juízes contra o eco-extremismo em geral. O mesmo aconteceu nos Estados Unidos e o mesmo está acontecendo na Espanha, mas rá! Neste caso não são anarco-sindicalistas, mas anarcos do tipo anti-civilização/insurrecionalista/anti-nanotecnologia/ludistas/Inclusivos/blábláblá, são todos a mesma coisa, todos eles são um lixo progressista miserável que merece perecer da pior forma possível.

O que está acontecendo é que ITS continua a ganhar terreno, tanto geograficamente como nas mentes daqueles individualistas do tipo incorreto ou que tendem a ser, e claro, os anarquistas veem isso como um problema sério, ITS os tira adeptos, os ridiculariza e os fazem parecer ursinhos de pelúcia quando se trata de se lançar ao abismo do atentado. Eles não tem nada haver como os seus antepassados históricos, os anarcos modernos agora se indignam ao escutar que o REAL inimigo da sociedade detona uma bomba em um lugar público que deixa mais de um ferido (como foi o caso do Chile), sendo que lá por meados de 1892 um grupo de anarquistas detonou uma bomba na Praça Real de Barcelona, e sim, também uma praça pública, deixando numerosas vítimas civis, eles se esquecem dos mortos e feridos deixados para trás pelo bando de Di Giovanni na Argentina, o de Bonnot na França, o de Galliani nos Estados Unidos, os atos individuais de Santiago Salvador e Mateo Morral na Espanha. Não precisamos ir tão longe assim, basta mencionar os civis feridos (e até mortos) que deixaram os atos reivindicados pela CCF e a FAI para evidenciar a hipocrisia, a dupla moral e a chocante covardia dos anarquistas modernos sobre julgar os atos de ITS.

Claro, os anarcos vão se opor muito como dito antes, mas suas palavras não importam, a única coisa que estão fazendo é repetir a história com suas ações próprias de ONG’s desprezíveis, estão forçando para que tudo volte ao modo como as coisas eram consertadas antes. Mas e o terrorista Severino disparando contra o anarquista Lopez Arango, lembram?

A ONG 325 causou risos quando disseram que ITS se refugiava na internet e que havia optado apenas por lançar comunicados, pensando que havíamos recuado após a infame delação que fizeram contra a pessoa que dizem ser Abe Cabrera. A resposta foram atentados explosivos em quatro países diferentes tanto na América como na Europa. Recuar? Parar? NUNCA! Já disse Nietzsche: “O cristão e o anarquista são ambos decadentes; incapazes de agir além de um modo solvente, insalubre e enfraquecido; por onde vão empobrecem o sangue.”

Para nós os eco-extremistas, antissociais, misantropos, individualistas, terroristas niilistas, etc., só nos resta tirar sarro das tentativas estéreis de nos deter, tanto por parte das autoridades como de um punhado de idealistas puritanos que lançam seu pus tanto na web como em seus fedorentos espaços de merda. Embora eu queira adiantar, nem todos os meus apenas zombarão, alguns irão agir e quando isso acontecer, só não reclamem…

Para terminar, hoje à tarde recebi a notícia de um massacre perpetrado por dois jovens em uma escola no Brasil, entraram com numerosas armas e explosivos e mataram oito pessoas e feriram uma dezena de outras, se suicidando em seguida no estilo Columbine. Aplaudo a ferocidade de qualquer indivíduo que ponha sua vida e sua morte em suas mãos, e se lance ao abismo, que FAÇA as coisas e que NÃO só as diga. Este massacre é apenas um reflexo das forças do Caos que correm por todos os cantos e precisam apenas de um pequeno empurrão para perpetrar massacres que desestabilizem a ordem social estabelecida.

Adiante, Máfia ITS!

-Xale

[PT] México: Comunicado 76 de ITS

Traducción al portugués del comunicado 76 de ITS.

“Quando chego a este ponto tenho que reprimir com força um suspiro. Há momentos em que me toma de conta um sentimento mais sombrio que a mais negra melancolia: o desprezo pelos homens. Para que não haja dúvidas sobre o que desprezo e a quem desprezo, direi que é o homem moderno, do qual sou desgraçadamente contemporâneo. O sopro impuro do homem do dia me sufoca.” – F.N.

Diante do súbito escândalo mediático sobre as nossas ações, queremos dizer algumas coisas:

1. ITS não foi o responsável pelos artefatos explosivos detonados em fevereiro no Estado do México, eles foram parte de uma coordenação de um grupo chamado “Conspiração do Trovão” (CT), e embora compartamos certas motivações com eles, NÃO pertencem a ITS, então por favor, não nos deem o crédito. Apesar disso, através deste pequeno comunicado os convidamos a formar parte deste grupo internacional pelo Caos, e que compartamos não só estas siglas, mas o desejo de querer ver TUDO arder. Certamente fizeram um trabalho bastante limpo, eminente e seu sigilo tem deixado as agências de segurança do estado preocupadas. É isso aí, caralho!

Incentivamos a CT a dar continuação em seu projeto criminal até as últimas consequências. (1)

2. Não é muito frutífero tentar esconder nossa presença onde quer que operemos, já tentaram fazer isso antes e o tiro saiu pela culatra. Enquanto hoje somos notícia no México também somos na França por meio da última entrevista que demos. Ultimamente também se fala de nós no Chile, Brasil e Grécia, então Sr. Presidente, que lhe informem bem sobre ITS aqueles inúteis senis e hipsters alternativóides que você tem como consultores, porque em seu governo, como no de Peña, continuaremos com nossos atentados porque NÃO nos importa se os governos são de direita, de esquerda ou do centro, TODOS são progressistas e o Progresso humano é nosso objetivo.

Também é prova de que a paranoia coletiva existente reina em uma sociedade temerosa, acostumada ao linchamento ou ao conformismo de uma realidade tão cinza que causa nojo só de fazer menção. E também como é que com uma só ligação de ameaça à bomba em um momento determinado ou como que através de um simples brinquedo que parece uma granada abandonado no local certo, etc. a ordem estabelecida fica obsoleta e quebrada por uma só pessoa que decidiu romper com a rotina da falsa realidade. Aqui há uma lição, e só os mais inteligentes poderão entender. (3)

4. De nada servirá o exército rondando as ruas, vários policiais federais e estatais detendo pessoas “suspeitas”, nem várias operações em conjunto com o Grupo Tático, nem a implementação da Guarda Nacional, as ações terroristas de ITS, ou da Conspiração do Trono, ou de qualquer outro grupo com motivações similares continuarão doa a quem doer, custe o que custar, porque lembrem-se bem, ELES SÃO UMA PIADA!

Continuando com o projeto internacional de conspiração contra o progresso humano!
Coragem, delinquência!

Com o Oculto a nosso lado!

Individualistas Tendendo ao Selvagem – México

Notas:

1) . https://www.excelsior.com.mx/nacional/el-grupo-terrorista-its-pone-en-jaque-al-estado-de-mexico/1299712
2). https://www.tabascohoy.com/nota/471957/obrador-descarta-operacion-de-grupo-terrorista-en-mexico
3) . https://www.elsoldemexico.com.mx/metropoli/policia/sigue-ola-de-vandalismo-en-valle-de-mexico-queman-mexibuses-en-ecatepec-3096312.html

[en] (MÉXICO) 76 COMMUNIQUE OF ITS

“When I reach this point, I have to forcefully repress a sigh. There are moments when I am assaulted by a feeling darker than the darkest melancholy: contempt for men. So that there is no doubt about what I despise and who I despise, I will say that it is modern man, of which I am unfortunately contemporary. The impure breath of the man of the day suffocates me”
F.N.

About the recent media scandal concerning our acts we want to say some things:

1. ITS is not responsibile for the explosive devices detonated the past February in Mexico State, those were part of a coordination of a group named “Conspiration of Thunder” (CT), and even if we share some of their motivations, they DO NOT belong to ITS, don’t give us the credit please. However, from this short communique we invite them to join this international group for the Chaos, and to share not only this acronym but the will of seeing EVERYTHING burn. Honestly you did a very clean job, and your stealthy operation put the state security agencies into trouble. Well done!
To CT, we encourage you to continue your criminal project until the last consequences. (1)

2. It is not very useful try to hide our existence wherever we operate, it has been done before and it did not work very good, while we are on the news in Mexico, also we are on France from the last interview that we gave, lately we are on the news on Chile, Brasil and Greece, so, Mr. President, get some actualized information about ITS from those useless senile and altenative hipster that you have as assistants, because during your government, as we did with Peña, we will continue our attacks, because we do not care if the government of the moment are right, left or center, ALL of them are progresists and human progress is our target. (2)

3. As it seems, after the coordination of CT, there were a bunch of people that decided to do bomb threats, leaving fake grenades in courts and set buses on fire, the media point us as responibile for this as well, we will not deny nor accept the responsibility for those acts, we just want to say that this is the evidence that a one or several little actions are enough to encourage others to take initiative and go out there to make their own disaster, to spread the contagion, oh well!
Also is a evidence of the collective paranoia that reigns in a timorous society, used to lynching or conformism of a so grey reality that is disgusting only to mention it. And how is that just with one phone call warning to explode a bomb in an specific moment, how a simple toy that looks like a grenade, etc… the stablishied order is left obsolete and broken by a single person who choosed to break with the routine of the fake reality, there is a lesson, and only the smartest will be able to understand it. (3)

4. The army wandering around the streets, so many federal and state cops stopping “suspicious” people, or so many joint operations with the Tactical Team together with the implementation of the National Guard will be useless, the terrorists actions of ITS, or the Conspiration of Thunder or any other group with similar motivations will continue no matter what, whatever it takes, because remember it good: YOU ARE A JOKE!

We still continue the international project of conspiration against human progress!
Forward criminals!

With the Occult on our side:
Individualists Tending Towards the Wild-Mexico