Tag Archives: Português

[pt] Reivindicação de uma série de ataques incendiários no centro de Atenas

Tradução ao português do comunicado recebido em grego no dia 19 de fevereiro, reivindicando ataques incendiários em Atenas.


Tão fácil e tão simples é deixar em ridículo a paz social e ao mesmo tempo a asquerosa decoração plantada por Xrysoxoidi em diferentes bairros de Atenas para manter a lei e a ordem. Passamos despercebidos e executamos todas as ações que tínhamos planejadas.

A razão pela qual atacamos diferentes alvos é para deixar claro que não estamos lutando apenas contra a indústria da carne ou a propriedade estatal… mas contra tudo o que a civilização produz. Poderíamos escrever 40 páginas cheias de bobagens filosóficas e as razões pelas quais fizemos o ataque. Nossas ações não estão pensadas como resposta a nenhum chamado de solidariedade nem estão sujeitas a nenhuma corrente política, nem são parte de nenhum movimento ou apelo à ação. Estamos cansados de ter que buscar razões ou desculpas para justificar o que fazemos.


A única motivação para nós é seguir nossos instintos que nos guiam e atear fogo a todo o existente. O resto é política e os jogos políticos nos aborrecem.


Jamais seguimos uma tendência política como aqueles que tentam atrair a sociedade para o seu lado, tampouco somos estes niilistas de fachada que se dizem os “perigosos” na internet (redes sociais e blogs) e criticam tudo desde a web e do conformo de suas casas. Também não somos filósofos insurrecionais que se limitam a ler livros empoeirados.


Então, assumimos a responsabilidade pelos seguintes atos:

– 9 de Janeiro: deixamos dois artefatos incendiários ao mesmo tempo em um açougue e em uma loja de equipamentos de segurança, câmeras, alarmes, etc. Na rua Agia Zoni, bairro de Kypseli.

– 22 de Janeiro: colocamos três artefatos incendiários, um grande e outros dois menores, nos escritórios da ELTA e nas duas vans que estavam estacionadas do outro lado da rua Prigiponison, em Polygono.

23 de Janeiro: queimamos três carros em Kolonaki, colocando tabletes de parafina nas rodas. O primeiro carro foi um jipe Porsche e os outros dois foram escolhidos aleatoriamente, simplesmente porque os encontramos na nossa frente.

Estes ataques foram a verdadeira expressão de nosso egoísmo, que busca prazer através do ataque contra o existente. Semeamos caos e terror na sociedade-prisão da civilização, destruindo, mesmo que por um instante, a normalidade.

Tenham a certeza de que voltaremos…

– Um punhado de lunático niilistas –

Manifesto de apresentação: Célula Terrorística “Misantropo K.”

Somos uma célula de Misantropos afiliada ao proselitismo realizada por projetos como o Terrorismo Egoarca e outros relacionados.

Formamos esta célula, havendo agido no passado com vários incêndios em máquinas e estruturas sociais que detestamos, dispositivos explosivos que removeram dedos e extremidades, enquanto enterrávamos algumas ovelhas que estavam muito massificadas. Agora comecemos o caminho da revindicação com uma identidade precisa, sem nos preocuparmos com a justiça e seus seguidores! Vá aos restos!


“Nossa” área é “Apúlia”. Temos agido clandestinamente desde Bari a Lecce, mas queremos nos expandir. Respeito total pelo crime que em Apúlia está generalizado e, sobretudo, … brutal!

Seremos claros: não é hora para proclamações muito complicadas nem extensas.

Morte e destruição, é isso que importa a nós!

Vamos espalhar a Misantropia Ativa Extrema e foder o resto da humanidade!

Que o caos e o terrorismo se estendam, e que possamos exterminar alguns seres humanos… estamos preparando nossas espadas e armas clandestinas para vocês! Sim!

Célula Terrorística “Misantropo K.”

Inverno, Bari/Lecce

[pt] Atentados Explosivos de Outubro

“A única forma possível de começar uma declaração deste tipo é dizendo que detesto escrever. O processo por si só resume o conceito de “pensamento legítimo”. O que está escrito tem uma importância que nega a oralidade… É um dos caminhos do mundo branco para a destruição das culturas dos povos não-europeus, a imposição de uma abstração sobre a prática oral de um povo… Na verdade, não me importo se minhas palavras chegam aos brancos ou não, eles já demonstraram, através de sua história que não podem ouvir, nem ver, que sabem apenas ler (claro, há exceções, mas as exceções apenas confirmam a regra). É preciso um grande esforço de cada um dos índios do continente americano para não ser europeizado. A força deste esforço pode vir apenas da tradição, de suas formas e caminhos, dos valores tradicionais que nossos anciãos retém. Deve vir do aro, das quatro direções do vento, das relações: não pode vir das páginas de um livro ou de mil livros… Mas há outro caminho. Há o caminho tradicional dos Lakota e os caminhos dos outros povos indígenas deste continente. É o caminho que sabe que os humanos não têm o direito de degradar a Mãe Terra, que existem forças além de tudo o que as mentes europeias conceberam, que os seres humanos devem estar em harmonia com todas as relações ou tais coisas eliminarão a desarmonia…

A arrogância europeia de atuar como se estivesse acima da natureza de todas as coisas pode apenas resultar em total desarmonia e em um reajuste que corta o tamanho da arrogância do ser humano, que lhe dê um gostinho da realidade que está além do seu alcance ou controle e restaure a harmonia. Não há necessidade de nenhuma teoria revolucionária para isso, está além do controle humano. Os povos naturais deste planeta sabem e não precisam teorizar sobre isso. A teoria é abstrata, nosso conhecimento é real. A racionalidade é uma maldição, pois pode fazer com que os humanos esqueçam a ordem das coisas de maneira que outras criaturas não podem fazer. Um lobo nunca esquece seu lugar na ordem natural.

A Mãe Terra foi abusada, os poderes foram abusados, e isso não pode seguir para sempre. Nenhuma teoria pode alterar essa simples verdade. A Mãe Terra retaliará, todo o ambiente retaliará e os agressores serão eliminados, as coisas completam o círculo de volta ao ponto de partida. Essa é a revolução, e esta é uma profecia do meu povo, do povo Hopi e de outros povos corretos.” – Wanbli Othinka, Para que a América viva a Europa deve morrer.

A questão agora é o que fazer com estas palavras. Apenas guardá-las (como vocês acadêmicxs frequentemente fazem) nos cofres do conhecimento inútil, para depois trazê-las à tona em alguma conversa, escrito ou debate através do qual alimentarão seu ego miserável? Ou realmente levarão a sério pela primeira vez algo que não visa a um benefício egoísta?

Porque, sejamos sincerxs, muitxs de vocês sabem que tanto a antropologia quanto a própria academia são besteiras, mas sabem que através dela podem obter certos benefícios civilizados: conforto, reconhecimento, poder dentro de sua sociedade. Então apenas se desculpam e até mentem para si mesmxs dizendo que daquele lugar darão sua contribuição para melhorar as coisas, mas nós sabemos que não é assim, sabemos que a grande maioria só quer ganhar dinheiro e obter confortavelmente suas possibilidades. Esta sociedade hipocritamente quer o bem para todxs, mas o bom é inimigo do melhor, e o que é bom para vocês, é mau para a terra, para xs indivíduxs que não desejam se submeter a esta ordem mundial doentia. Para nós, o único caminho digno e honrado é a guerra contra esta sociedade civilizada, a essa ordem tecnoindustrial e, sobretudo, à escuridão que prolifera dentro do coração humano e que se materializa diante de nossos olhos nessa grande catástrofe apocalíptica que testemunhamos horrorizadxs, mas que nos alimentamos dia a dia.

Hoje, muitos espíritos de sábixs ancestrais se vendem por qualquer miséria, alienadxs, buscam escapar de seu sofrimento, e tentando fugir dele, ele aumenta cada vez mais, alçando o círculo de autodestruição. Isso que acontece a nível aparentemente pessoal, acontece a nível macro, como espécie completa. Por este motivo, nós deixamos de ignorar a voz dos espíritos, NOSSA PRÓPRIA VOZ, e enfrentar uma guerra espiritual, que é travada em nosso interior, e que ao mesmo tempo se manifesta em nossa vida, atacando também materialmente esta sociedade e cada um de seus bastiões.

12 de Outubro:

Segundo a “história oficial”, há quinhentos e vinte e sete anos uma frota europeia chegou a estas terras em busca das Índias. Foi assim que começou a devastação de nosso mundo sagrado, o mundo de nossos avós.

Com os europeus, uma nova e decadente forma de se compreender a realidade e se relacionar com ela foi trazida aqui (isto é, de se relacionar com o Grande Espírito, o TODO).

O respeito à vida e seus ciclos, a medicina sagrada, a sexualidade e eté a alimentação, a nossa magia e nossas Deidades foram alteradas por uma cosmovisão inferior e medíocre chamada catolicismo, uma religião criada vários séculos antes por outros europeus ambiciosos (romanos) com a intenção de criar súditxs a partir da psiquê, formar escravxs em massa (em todo o império), tentando garantir a perpetuidade de sua tirania.

Isso só poderia ser alcançado cobrindo os olhos e ouvidos espirituais de todos os povos subjugados (poderíamos dizer que a conquista aconteceu primeiro na Europa). A perda das almas ao separar (cada vez mais) x indivídux de seus ciclos, de seus arredores, de seu pai céu, de sua mãe terra e das estrelas irmãs, de sua medicina, das energias e seres vivos, de todo o conhecimento guardado com amor pelos antepassados.

Vocês, antropólogxs, ouviram a voz de nossos povos e deturparam suas palavras por conveniência, acreditam que tudo pode ser traduzido para sua pobre língua ocidental, seu raciocínio medíocre. A antropologia é outra expressão da arrogância ocidental e dos rasteiros e traidores que são xs brancxs. (Lembre-se que a brancura é uma aculturação, um modo de pensar, de ser, se relacionar e assumir um lugar no mundo, e não apenas uma cor de pele específica). Eles se envolvem com uma determinada comunidade, retiram toda a informação que podem, deformam-na com sua interpretação corrupta para compartilhá-la com seu mundo (e claro, exaltar seu próprio nome) e utilizam o conhecimento obtido para seus propósitos egoístas, muitas vezes em detrimento da própria comunidade que lhes abriu as portas. Vocês ocidentais trancadxs em suas academias não fazem nada além de masturbar seus egos e contar mentiras.

O conhecimento que eles obtém quase sempre é usado para manter a ordem macabra (que eles costumam dizer que odeiam), fortalecendo o progresso de sua sociedade degenerada (sociedade da qual somos inimigxs).

São ridículos seus discursos humanistas sobre paz, respeito pela alteridade ou inclusão. Quem disse que queremos ser incluídxs no inferno deles? Não queremos ser escravxs do mundo ocidental, queremos atacá-lo para iluminar sua escuridão.

Há quinhentos e poucos anos seus progresso chegou à nossa mãe, tentando destruir tudo em nome de sua ambição. Vocês foram e são os verdadeiros demônios!

A modernidade e tudo o que agora atormenta a vida no planeta não seriam possíveis sem o cristianismo, sem a razão instrumental, sem o desejo de possuir tudo.

Eles levaram seu germe imundo a cada canto do planeta e se enriqueceram com nosso sofrimento. Mas não é mais tempo para lamentos, são tempos de guerra e fé! É por isso que atacamos este símbolo da arrogância, brancxs “ensinando” sobre nossxs ancestrais, que ofensa asquerosa nos cospem na cara!

Saibam que cada causa tem um efeito, e que cada ação é uma reação. Nós não somos amigxs, vocês não são bem-vindxs nesta Terra. Seu estilo de vida não será mais tolerado por nós. Europeus, gringxs, colizadorxs que traem seu sangue, saibam que o punhal os aguarda ao dobrarem cada esquina. Somos xs Jovens Guerreirxs que se preparam para iluminar a noite com relâmpagos. Sorrimos à morte porque amamos a vida.

Somos filhos do sol e da lua!
Somos Tlahuele Iknoyotl!
Somos a Conspiração do Trovão!

https://www.eluniversal.com.mx/nacion/sociedad/uam-reporta-hallazgo-de-artefacto-explosivo-en-edificio-de-unidad-iztapalapa

https://www.paralelo19.mx/nacional/item/8607-encuentran-artefacto-explosivo-en-uam-iztapalapa

[pt] (México) Comunicado 91 de ITS

Por este meio reivindicamos os seguintes atos:

– 19 de dezembro: Incêndio na subestação da Comissão Federal de Eletricidade de Santa Marta Acatitla, Iztapalapa, na Cidade do México. O incêndio afetou dezenas de bairros que ficaram sem energia, sendo um ataque bem-sucedido que comprova que seguimos em tocaia.

– 24 de dezembro: Enquanto a celebração de Natal estava prestes a começar, incendiamos o popular Mercado de la Merced, e como esperado, as chamas avançaram rapidamente devido à quantidade de lixo vendido lá.

Temos o prazer de mencionar que houve duas pessoas mortas após nossas chamas. Não lamentamos em nada suas mortes, já que isso é uma Guerra contra a sociedade, não nos importa que seus integrantes sejam ricos ou pobres, atuamos indiscriminadamente, sem contemplações por ninguém, e isso muitos já sabem. Não estranhem se sigamos matando direta e indiretamente os robôs cuja única finalidade é incomodar e habitar o mar de gente que vive em uma das cidades mais povoadas do mundo.

Os vemos com repúdio, suas celebrações nos repugnam, vocês nos criaram e agora terão que nos engolir.

Individualistas Tendendo ao Selvagem – Cidade do México

https://cnnespanol.cnn.com/2019/12/25/alerta-procuraduria-cdmx-arranca-investigacion-de-mortal-incendio-en-la-merced/

[PT] (Estados Unidos) Comunicado 90 de ITS

Nossa sede por sangue foi saciada e louvamos Pã, Dionísio e a todo o Desconhecido por nos guiarem nesta ação. Como os predadores da floresta, percebemos o cheiro de nossa vítima e atuamos a partir de nossa fome por sangue humano. Estamos pouco nos fodendo com a moralidade ocidental e todos nossos detratores anarquistas americanos. Regozijamo-nos com a elevação da própria morte desde o fundo dos mares como nossa cúmplice pessoal. Após a ação, comemoramos, fornicando enquanto o doce sangue de nossas vítimas seguia fresco em nossas mãos. Desejando a morte a toda a civilização, nosso grupo de extremistas assassinou alegremente a dois tecno-executivos na Costa Oeste, Tushar Atre y Erin Valenti.

Realizamos os assassinatos por não mais razão do que o simbolismo de ver dois apêndices fracos do sistema tecno-industrial morrendo diante de nós, agonizando e logo inanimados. Não estávamos interessados no dinheiro de Atre, ou seus empregados e como ele os abusava. De qualquer forma, as notícias falsas muito precisas corretamente argumentam que estavam se juntando às pessoas erradas! Nós rimos quando Valenti se excitou pelo fato de ser sequestrada e quando declarava diante de seus pais ter “acordado” horas antes de sua morte! A Pantera Subaquática ficou satisfeita com o sacrifício que ela parece ter aceitado.

Nos aproximamos das duas vítimas gritando “HOKA HEY!” em memória de nossos ancestrais tribais que apenas se mantinham como Chefes de Guerra se o equilíbrio de corpos fosse mantido.

Pela morte de todas as civilizações!

Que o Jaguar Negro suba do mundo subaquático para vingar nossos antepassados e satisfazer nossos desejos de sangue humano!

Pela unificação das Individualidades Selvagens!

Individualistas Tendendo ao Selvagem – Estados Unidos

-A Ira da Natureza

[PT] (Chile) Comunicado 89 de ITS

“De fato, a reivindicação fundamental do anarquismo, a fim de eliminar todo princípio, ordem ou governo –Arkhé–, implica, no entanto, e como apontam os eco-extremistas, na subsistência fundamental do Social, e nisso, do Humano. Frente a isso, como vimos, o eco-extremismo busca exatamente a eliminação do Humano e sua “Regressão” ao “selvagem” e ao “individual”, para erigir o “não-humano”, eliminando assim o dualismo metafísico. É por isso que os Eco-extremistas não se consideram nem atuam como simples anarquistas. Não buscam unicamente a eliminação de todo princípio. O que buscam é a eliminação do sujeito Humano.”

“(…) NÃO, “eles não tem mais animosidade pelas pessoas da Concertación que pelas mesmas pessoas de direita”: para eles dá no mesmo se assassinam a alguém de direita, de esquerda, de cima, de baixo, negro, branco, chinês, judeu, palestino, heterossexual, homossexual, homem ou mulher, criança ou idosos, deficiente ou campeão olímpico, pobre ou rico, burro ou inteligente. Para eles, qualquer Humano civilizado merece estar morto.”

O que é o Eco-extremismo – Análise de “Individualistas Tendendo ao Selvagem

“O mundo é como uma ampulheta, do lado de cima está a civilização, com todas suas rígidas estruturas que buscam garantir a lei e a ordem, sustentadas pelo peso de suas estruturas legais e morais que trabalham para manter o conjunto coeso. O lado inferior é o Caos, e pouco a pouco, a areia vai caindo. Com ela caem todas as ilusões do progresso, todos os sonhos sobre mundos de conforto e segurança. Hoje, o lado superior ainda está cheio o suficiente, mas aos poucos o Caos vai tomando forma. É apenas uma questão de tempo para que o mundo da superioridade humana se dissolva nas ondas eternas de Caos e Selvagismo. Enquanto isso, preferimos desfrutar da queda, ao invés de nos apegarmos como néscios às miragens de uma civilização cuja própria existência se baseia em uma guerra contra o imperturbável avanço do tempo que, como marés selvagens, desfaz tudo gradualmente.”

– Oitava entrevista com ITS.

Chegamos ao momento em que as portas do inferno se abrem e os instintos mais sombrios são liberados. A ameaça invisível se desenvolve agora, em plena luz do dia, roubando, saqueando, queimando…

Nas ruas de Santiago vamos com nossos punhais e nossos artefatos caseiros buscando o caos, e indo direto ao ponto, nos responsabilizados pelos atos mais notórios dos quais participamos no meio dos distúrbios:

– Incêndios indiscriminados de carros de luxo e não luxuosos, pelo menos três queimaram completamente.

– Facadas a um cidadão-herói que tentou colocar militares contra nós com seus gritinhos. Levou algumas estocadas e os deixamos no chão, perdendo sangue, e esperamos que já tenha engrossado a lista de mortos.

– Surra em uma mulher que tentou filmar nossos rostos enquanto incendiávamos alguns carros . Não a matamos para que mais tarde não saíssem por aí nos chamando de machistas e toda essa porcaria, como se nos importássemos com isso.

As forças da terra juntamente com toda a sua misticidade nos despertaram do nosso descanso sussurrando sua anátema em nossos ouvidos: “Que o mundo inteiro arda”, e nós respondemos como antes, dançando entre as chamas que celebram o despertar dos novos guerreiros que se movem como os jovens Klóketen, assim como fizemos lá em 2016 com nossos primeiros atentados.

Nos chamem de fascistas, infiltrados, agentes da desordem, NOS DÁ NO MESMO, somos terroristas extremistas e se tivermos que “nos infiltrar” com os anarquistas para saquear um supermercado ou queimar um ônibus, faremos isso, se tivermos que “nos infiltrar” com militantes da extrema direita e aproveitar o caos para incendiar sinagogas, assim será. Porque somos como a tempestade que se desata sem avisar, como o tsunami que destrói tudo e não faz distinções de classe, de gênero nem nada. Fomos, somos e seguiremos sendo NATUREZA SELVAGEM DESCONHECIDA.

Este é um chamado a todos os provocadores, os psicopatas, aos piores dos piores da sociedade, para que provoquem distúrbios para levar à desestabilização um passo adiante. Sabemos que há anos estas terras geladas do Sul foram o lugar de incontáveis demônios que agora têm sua oportunidade de sair como nós, com o caos entre as mãos para fazer parte desta guerra e desfrutar do desastre vendo como tudo se desmorona.


Saudações de guerra aos “Incitadores do Caos”, um novo grupo de ITS no Chile, que também participou dos distúrbios. A onde quer que estejam, que o Desconhecido os proteja, irmãozinhos!

Sempre do lado do Caos!

Contra o progresso humano e sua suja civilidade!

Individualistas Tendendo ao Selvagem – Chile

– Horda Mística do Bosque

[PT] (Chile) Comunicado 88 de ITS

Incitamos o caos e a destruição e mais uma vez nos aproveitamos da multidão nas manifestações nestas terras do sul, para gerar instabilidade.

Infiltrados no meio da horda alienada e de vândalos encapuzados estivemos andando com um único objetivo: o fogo e a destruição.

Adoramos as chamas ardentes penetrantes e apreciar como tudo arde. A benzina tem sido uma boa aliada. Armados com garrafas de líquido inflamável seguimos queimando tudo, sigilosos e sempre atentos aos nossos afins, dispersos seguimos e seguiremos aqui, observando e rindo das sombras.

Ânimo ao lumpem, bandidos, destruidores, aos delinquentes, saqueadores, ladrões, amorais.

O dia do caos se aproxima e desejamos a morte à cidade e ao progresso humano!

Individualistas Tendendo ao Selvagem – Chile

– Incitadores do Caos

[PT] (México) Comunicado 87 de ITS

Aproveitando o clamor popular, a exigência de justiça, a administração tolerante das autoridades capitalinas e a incompetência da polícia, nós membros de Individualistas Tendendo ao Selvagem nos infiltramos na manifestação de ontem e participamos dos distúrbios gerados no centro da asquerosa Cidade do México.

Mais uma vez o Caos se apoderou das ruas e nossos grupúsculos juntamente com outros antissociais raivosos destroçaram vários alvos ao alcance de suas mãos. Esta não é a primeira nem a última vez que nos infiltramos em uma marcha pacífica, que fique claro que ITS aproveita qualquer oportunidade para desencadear o Caos, a confusão e a desestabilização, não damos a mínima para suas demandas (de quem quer que seja).

Para os sem cérebro, esclarecemos que, esta é uma pequena reivindicação de NOSSA responsabilidade naqueles distúrbios. Com isso não significa que fomos os TOTAIS responsáveis pela bela violência ocorrida há algumas horas, o mérito também é de outros com quem compartilhamos capuzes, suor, provocação e efusividade.

Pelo Oculto e o Desconhecido:

Individualistas Tendendo ao Selvagem – México